Benefícios da dança para o corpo e a mente

Uma hora de dança gasta, em média, 400 calorias

Marisa De Lucia


Já está mais que provado que dançar reduz o estresse, aumenta a disposição, tonifica e define os músculos, além de queimar calorias tanto quanto caminhar ou andar de bicicleta. E quer maneirar melhor de perder peso?

Mas será que todo mundo sabe que a dança também funciona como uma terapia para a alma? Pesquisas revelam que a dança pode combater a timidez e até mesmo a depressão. Isto porque dançar promove a auto-estima, trazendo alegria e maior disposição para encarar as dificuldades do dia-a-dia

O mais interessante é que, ao contrário de algumas atividades físicas, qualquer pessoa pode dançar, não existem restrições, nem mesmo de idade. Claro que os passos devem ser adaptados às limitações físicas de cada um, mas não existe impedimento.

site.jpg

Outro dado interessante: com a dança, a vida a dois com certeza melhora muito, pois o casal se torna mais próximo e acaba resgatando toda a cumplicidade do início do relacionamento.

De acordo com o diretor da Sociedade Brasileira Medicina do Esporte, Samir Daher, a dança é uma atividade aeróbica focada em pontos específicos do corpo, que variam de acordo com o tipo da atividade. “Em geral, mexe com frequência cardíaca, musculatura esquelética e articulações, podendo ser uma boa aliada para se perder peso. Uma hora de dança pode gastar em média de 300 a 400 calorias”.

Contudo, é preciso tomar alguns cuidados para evitar dores nos joelhos, coluna e tendinites, já que a atividade provoca um movimento repetitivo nas articulações, principalmente em pessoas acima do peso. O médico destaca a importância do alongamento, normalmente feito antes das aulas, e alerta que se a intensidade da prática de dança for muito intensa, exigindo horas de dedicação e mais de duas vezes na semana, é recomendada uma preparação da musculatura e do condicionamento.

“A dança, como atividade física, libera endorfina, substância relacionada ao prazer”, afirma o médico. “Ninguém dança de cara fechada e, normalmente, termina a atividade mais alegre. É um exercício que interliga mente e corpo”, observa o diretor.

Como ganhar uns quilinhos

A magreza excessiva pode trazer sérias complicações à saúde

Marisa De Lucia


Inúmeras são as propagandas de produtos que garantem a perda de peso em poucos dias, conquistando assim um corpo perfeito. Mas, e quem é muito magro e precisa ganhar uns quilinhos, o que deve fazer?

Ao contrário do que se pensa a solução não está em aumentar a ingestão de alimentos, porque dessa forma irá aumentar a porcentagem de gordura. A melhor maneira é ganhar massa muscular.

Por isso, o ideal é fazer uma dieta rica em carboidratos e proteínas, evitando a gordura. Suplementos alimentares, como os milkshakes hipercalóricos, também são recomendados, contudo, só a alimentação não é suficiente. É necessário também praticar exercícios físicos como musculação, optando por um trabalho de ganho de massa.

Antes de tudo, deve-se procurar um especialista, que irá medir a massa corpórea, e a partir dos resultados irá indicar a melhor dieta e a sequência de exercícios que deverão ser praticados regularmente.

site.jpg

Para saber se você precisa engordar, calcule seu IMC (Índice de Massa Corporal) dividindo seu peso pela sua altura multiplicada por ela mesma. Se o resultado for menor que 19, você pode se considerar um “magro excessivo”, ou seja, uma pessoa com peso deficiente.

IMC * = peso/altura x altura

Exemplo: 1.70 de altura e 50 kg

Multiplica-se a altura: 1.70 X 1.70 = 2.89

Peso 50/2.89 =

IMC = 17,30 (abaixo de 19)

A magreza pode ser causada por ingestão insuficiente de alimentos; mau aproveitamento pelo organismo do alimento consumido; excesso de atividade física; doenças debilitantes; distúrbios glandulares como hipertiroidismo; estresse ou ainda manifestações neuróticas acompanhadas de aversão à comida, ou seja, anorexia nervosa.

Não se esqueça de que seja qual for a causa, o baixo peso deve ser tratado, pois um IMC menor que 19 traz maior risco de mortalidade. A subnutrição acarreta infecções distúrbios endócrinos e até mesmo alguns problemas psicológicos.

Mas, lembre-se que para engordar não é preciso comer muito, mas comer alimentos calóricos. Talvez seja necessário complementar a alimentação com vitaminas. Daí a necessidade de se procurar a ajuda de um nutricionista.

Você sabia como surgiu a dança?

Há mais de 15 mil anos atrás já foram registrados os primeiros movimentos

Marisa De Lucia


O homem foi o primeiro a manifestar o movimento de dança. Contudo, naquela época ela era executada quando alguém se sentia feliz com a vinda da chuva ou quando ganhava um presente. Passado um tempo, o homem sentiu que para dançar ele precisava de um barulho para acompanhar seus movimentos como seu próprio assovio, daí a origem dos instrumentos de sopro.

Por meio das pinturas e rabiscos que os homens das cavernas deixaram registrados nas paredes das cavernas, conclui-se que os primeiros movimentos que a nós chamamos de dança surgiram há mais de 15 mil anos.

A dança teve maior importância nas sociedades anteriores a valorização da palavra: a crescente importância dada à atividade mental e conseqüente abstração, tirou da dança o papel de meio de expressão de emoções, transferindo-o para a palavra. Assim, a dança começou a restringir-se à vida social.

Dessa forma, as culturas ocidentais deixaram de ser dançantes para se tornarem pensantes. No entanto, a dança, e, como parte dela, a dança social e também a dança de salão, continua expressando o pensamento e a emotividade da respectiva cultura.

 Photo by George Marks/Retrofile RF / Getty Images

Photo by George Marks/Retrofile RF / Getty Images

Muito provavelmente, as primeiras danças foram rituais ou místicas. O ser humano procurava (e até hoje procura) alcançar um bem estar que permite experiências transcendentais que o aproximem dos princípios místicos que acredita estarem guiando o mundo

Em pinturas de parede egípcias encontram-se as primeiras representações de dança de palco, ou seja, de uma forma artística de dançar cujo objetivo é entreter um público passivo: a dança se profissionalizou.

Durante a Idade Média e o Renascimento surgiu a dança como atividade social, ou seja, como expressão do fato de pertencer a determinada classe ou grupo social. As classes nobres diferenciavam-se das classes baixas, entre outros através das danças típicas, cuja aprendizagem fazia parte da educação. A aristocracia praticava as danças da corte, e o povo, as danças folclóricas. Surgiram então, então, nas cortes, os primeiros professores de dança e etiqueta. As habilidades de dançar, assim, estavam entre aquelas que qualificavam o indivíduo a fazer parte do grupo social ao qual pertencia por nascimento.

Cuidados com a depilação definitiva

É fundamental procurar um especialista para evitar incidentes.

Por:Marisa De Lucia


Para quem tem crescimento anormal dos pelos, os especialistas recomendam a depilação definitiva, que destrói as células matrizes inibindo assim o crescimento do pelo.

Quem optar pela depilação definitiva (eletrólise) deve, antes de tudo, fazer um exame médico para detectar a causa do crescimento exagerado dos pelos, pois a eletrólise irá combater somente o efeito não estético.

Escolha do profissional, que tenha domínio total da técnica da eletrólise para poder executá-la sem que no ocorram problemas como a penetração da agulha além da raiz resultando na destruição do bulbo ou a penetração insuficiente, acarretando uma queimadura superficial.

Untitled-2.jpg

Outro cuidado a ser tomado é em relação ao tempo de descarga, pois um tempo acima do necessário poderá provocar não só queimadura da pele, mas também cicatrizes. Embora o controle da intensidade deva estar de acordo com a resistência do pelo, a sensibilidade da pele deve ser considerada.

Após a depilação, deve-se evitar maquiagem e tomar sol por um período de 12 horas, usar somente sabonete antisséptico e aplicar um gel cicatrizante todos os dias durante pelo menos uma semana.

Como fazer exercícios físicos no frio

Veja as atividades recomendadas.

Por Marisa De Lucia


Nos dias frios o ânimo para a prática de exercícios físicos é bem menor, no entanto eles não devem ser deixados de lado não só pela aparência física, mas por conta de nossa saúde. E ainda é preciso tomar alguns cuidados. O ideal é se exercitar em locais fechados, principalmente quando as temperaturas são muito baixas.

Untitled-1.jpg

A diferença entre praticar exercícios no verão e no inverno vem em decorrência da hidratação e da vestimenta a ser usada durante os exercícios. Manter o aquecimento do corpo durante atividades físicas no frio é importante para diminuir o risco de lesões e para que o rendimento seja melhor. O ideal é praticar exercícios com peças sobrepostas para, no decorrer da atividade, ir tirando o agasalho. Caso contrário, aumenta-se muito a temperatura corpórea, o que faz a pessoa transpirar mais e o rendimento cair.

Outra coisa a ser observada é que o tempo para aquecer deve ser um pouco maior, porque com a temperatura mais baixa a musculatura fica mais contraída e quando o aquecimento é executado de maneira correta ocorre uma elevação da irrigação sanguínea, tanto das articulações quanto dos músculos.

Outro fator essencial é que o alongamento deve ser feito, de preferência, com a pessoa ainda agasalhada e precisa ser praticado no início, para dar ênfase à movimentação articular e também no final do exercício.

Atividades realizadas ao ar livre, no inverno, causam uma sensação menor de transpiração, pois o suor, quando em contato com o ar mais frio, evapora de maneira rápida. Por este motivo, é necessário ter atenção à hidratação.

O inverno também é uma época em que as pessoas costumam comer mais e, quando passando do ponto, é preciso se mexer. “É interessante aumentar a carga de atividade física, não importa se aeróbia ou muscular. A questão é que, se houve ingestão calórica, a conta tem que fechar: consumiu mais, gaste mais. Seria conveniente fazer cerca de 15 minutos a mais de exercícios”, sugere o coordenador, que também explica que, após atividades aeróbias, é comum uma inibição temporária da fome, pois é uma prática que costuma desidratar e causar mais

Como cuidar dos pés nos dias frios

Os cuidados devem ser redobrados

Por Marisa De Lucia


No frio, os pés são os que mais sofrem com a falta de hidratação. Além de ficarem mais ressecados, o uso de sapatos fechados pode aumentar a incidência de fungos e da descamação entre os dedos e na sola. A dermatologista Regina Schechtman, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, afirma que, com alguns cuidados básicos, é possível transformar a aparência dos pés em pouco tempo.

Untitled.jpg

Segundo ela, o primeiro passo é identificar se o ressecamento é causado pela falta de hidratação ou se ele sinaliza uma micose. Isto porque alguns fungos provocam ressecamento, deixando a pele áspera e até mesmo rachada.

Nesta época do ano a incidência de micoses cresce por causa da umidade nos pés causada pelos sapatos fechados e, por isso, se mesmo com o hidratante a situação não melhorar, é necessário procurar um dermatologista.

O ideal para pés muito ressecados são os hidratantes à base de uréia e ácido salicílico, que hidratam e afinam a pele. Já para quem tem micose, o tratamento deve ser feito com antifúngicos tópicos ou até mesmo orais, mas indicados por um especialista.

A dermatologista recomenda ainda o uso de meias 100% algodão e a limpeza do interior dos sapatos com substâncias como o Lysoform. “Não é bom usar o mesmo sapato todos os dias. Quem tem tendência a micoses pode também usar um talco que combata os fungos”, observa.

Dicas de cuidados com os pés

Lembre-se que calçados apertados e salto altos prejudicam os pés.

• Lave os pés diariamente;
• Mergulhe-os em água quente com sais de banho durante cinco minutos;
• Massageie os pés com um produto esfoliante insistindo nas zonas mais ásperas. Em seguida, enxágue-os bem e seque-os com uma toalha.
• Seque muito bem os espaços entre os dedos, assim evitará o aparecimento de micoses e frieiras.
• Corte sempre as unhas para não encravarem.
• Aplique diariamente um creme hidratante, massageando bem para que seja absorvido.

• Use óleo de amêndoas-doces para empurrar as cutículas. Evite cortá-las, pois elas protegem as unhas das infecções.
• Use sapatos bem macios, e nunca apertados.

Empilhar pedras pode aquietar a alma

A antiga arte traz ainda sensação de equilíbrio
Por Marisa De Lucia


Quem já não se sentiu sem vontade de nada, com uma sensação de que está faltando alguma coisa, ou seja, com a alma inquieta?

Untitled.jpg

Nesses momentos, a melhor coisa a fazer é praticar uma atividade relaxante como uma boa leitura, a pintura, ou até mesmo o famoso jogo da paciência. O ideal é procurar fazer aquilo que mais se encaixe com seu perfil.

Parece incrível, mas empilhar pedras -uma atividade não muito comum- traz efeitos incríveis quando se busca aquietar a alma. Prática frequente entre os budistas, empilhar pedras parece uma façanha impossível, mas existem exemplos de gigantescas pedras empilhadas marcando os lugares sagrados em vários locais da Irlanda, Austrália e Portugal.

Em alguns países, como no Japão, as pedras são tema de contemplação e uma forma de oração. Nos jardins japoneses, elas estão presentes causando sensação de quietude e leveza para quem passa.

Para quem se interessou e está a fim de empilhar pedras, é bom saber que esta atividade deve ser praticada em lugar silencioso, de preferência onde você possa ficar só. Afinal, é um excelente momento para refletir e se conhecer melhor.

Ao escolher as pedras, vá com calma e lembre-se que uma delas servirá de base para a pilha. Analise cada pedra pensando como ela se encaixaria no conjunto que você está idealizando. Se você mora longe de jardins ou parques terá que começar a procurá-las em locais por onde costuma passar. Para o iniciante dez a doze pedras já são suficientes.

Você sabe como surgiu a sopa?

E que eram servidas em buracos de pedras aquecidas?
Por Marisa De Lucia


A História da Sopa perde-se nos tempos. Foi prato principal dos camponeses em todo o mundo. A palavra sopa vem do latim «sop» que significa «colocar fatias de pão no prato e sobre elas derramar caldo quente».

Untitled.jpg

Na época do Inverno, de escassez de caça e colheitas, nas aldeias, fazia-se diluir o pouco alimento em água, com o objetivo de reparti-lo. Surgiu assim uma fonte de calor para alimentar e aquecer as pessoas.

Na Idade Média, os médicos, reconhecendo as virtudes terapêuticas das sopas, prescreviam-nas antes de qualquer remédio. Todas as pessoas devem comer uma sopinha, pois além de preparar o estômago para receber os outros alimentos é uma fonte de vitaminas, pelos ingredientes que entram na sua confecção!

Desde que o homem come sopa, esta passou a ser o prato principal da refeição, por ser econômica e bastante nutritiva. No entanto não eram apenas os mais pobres que a apreciavam, na própria corte real, a sopa era muito consumida.

E o mais curioso: quando ainda não havia utensílios de metal ou barro, a sopa era confeccionada através de buracos existentes em pedras que eram aquecidas.

Como combater a acne

Parte do segredo está nos alimentos

Por Marisa De Lucia


Quem pensa que é só adolescente que tem espinha está muito enganado. Problemas hormonais e de estresse são as causas mais frequentes desse desconforto que atinge grande parte da população.

pasta.jpg

Um estudo publicado no Journal of the American Academy of Dermatology revelou que, dos 20 aos 29 anos, 50,9% das mulheres sofrem com cravos e espinhas, que podem ser do tipo persistente, que resiste desde a adolescência, ou então do tipo surpresa, que surge do nada.

Mas a grande notícia é que não são só os tratamentos caros que podem combater ou prevenir a acne. Os nutrientes encontrados nos alimentos têm propriedades antiinflamatórias, regulando os níveis dos ácidos graxos pró-inflamatórios secretados pelas glândulas sebáceas.

Portanto, além de limpar a pele diariamente, de manhã e à noite, deve-se evitar gordura e açúcar, consumir alimentos ricos em fibra e tomar, no mínimo, oito copos de água por dia, além de chá verde que é um excelente desintoxicante.

Entre os alimentos que combatem a acne estão ainda verduras, legumes, frutas -em especial, mamão, manga e goiaba- gema de ovo, cenoura, batata doce, germe de trigo, castanha-do-pará, alho, semente de girassol e abóbora.

Outros cuidados são necessários para quem tem problemas com espinhas: após limpar a pele, use um tonificante sem álcool para acalmar e equilibrar a oleosidade. Em seguida, hidrate-a mesmo que seja oleosa. Nesse caso, use um hidratante em gel.

Procure deixar a pele respirar, diminuindo o uso de maquiagem; seque o rosto com toalhas de papel para evitar a contaminação com bactérias; lave frequentemente o cabelo e evite ficar passando a mão nos fios; de vez em quando faça uma limpeza de pele com um especialista, para retirar cravos e espinhas e complemente com uma esfoliação. Finalmente, fuja do estresse, pois embora por si só não provoque o aparecimento da acne, ele pode piorar bastante o processo.

Segue receita de uma máscara caseira para se livrar das espinhas: coloque numa panela 250 ml de água, 2 colheres de sopa de argila medicinal, meia colher de enxofre e 1 colher de camomila. Deixe a água ferver e adicione o enxofre, a argila e a camomila. Aplique a máscara enquanto estiver morna, deixando agir por 15 minutos, e depois passe um hidratante facial adequado para seu tipo de pele.

Uso constante do salto alto pode danificar a coluna

Causando sérios danos à coluna, aos joelhos e à panturrilha.

Por Marisa De Lucia


Não podemos negar que o salto alto torna a mulher mais elegante e com uma postura mais sofisticada, mas é preciso saber que se usado diariamente pode provocar danos à coluna, problemas no joelho e até o encurtamento dos músculos da panturrilha.

pasta.jpg

O uso exagerado do salto agulha ou fino, de acordo com reumatologistas, aumenta a lordose provocando dores nas costas e nos pés, além de aumentar o risco de torção do tornozelo e de quedas e fraturas em idosos. Já o salto mais grosso dá maior equilíbrio e sustentação.

Os médicos recomendam variar o tipo de salto, não deixando com os pés se acostumem só com um tipo, pois ao trocá-lo as dores aparecerão. Segundo estudo realizado pela Unifesp, o salto mais recomendado para uso diário é o de até 3 cm no máximo.

Além dos saltos grossos, as plataformas também são consideradas boas por terem o salto alto por toda a extensão da sola, trazendo uma melhor distribuição do peso do corpo e, portanto, melhor equilíbrio.

Outros saltos indicados são aqueles que saem do meio do calcanhar, os quadrados, que deixam o calcanhar bem apoiado, e os saltos Anabela, que diminuem as dores porque distribuem bem a pressão do corpo sobre a planta dos pés.

Os sapatos baixos e com saltos de até 3 cm são, de fato, os únicos recomendados por especialistas para o uso diário constante.

Incorporado ao dia-a-dia da mulher moderna, o salto alto pode trazer sérios danos à saúde, se usado de maneira exagerada.

Não podemos negar que o salto alto torna a mulher mais elegante e com uma postura mais sofisticada, mas é preciso saber que se usado diariamente pode provocar danos à coluna, problemas no joelho e até o encurtamento dos músculos da panturrilha.

O uso exagerado do salto agulha ou fino, de acordo com reumatologistas, aumenta a lordose provocando dores nas costas e nos pés, além de aumentar o risco de torção do tornozelo e de quedas e fraturas em idosos. Já o salto mais grosso dá maior equilíbrio e sustentação.

Os médicos recomendam variar o tipo de salto, não deixando com os pés se acostumem só com um tipo, pois ao trocá-lo as dores aparecerão. Segundo estudo realizado pela Unifesp, o salto mais recomendado para uso diário é o de até 3 cm no máximo.

Além dos saltos grossos, as plataformas também são consideradas boas por terem o salto alto por toda a extensão da sola, trazendo uma melhor distribuição do peso do corpo e, portanto, melhor equilíbrio.

Outros saltos indicados são aqueles que saem do meio do calcanhar, os quadrados, que deixam o calcanhar bem apoiado, e os saltos Anabela, que diminuem as dores porque distribuem bem a pressão do corpo sobre a planta dos pés.

Os sapatos baixos e com saltos de até 3 cm são, de fato, os únicos recomendados por especialistas para o uso diário constante.