Você sabia como surgiu a dança?

Há mais de 15 mil anos atrás já foram registrados os primeiros movimentos

Marisa De Lucia


O homem foi o primeiro a manifestar o movimento de dança. Contudo, naquela época ela era executada quando alguém se sentia feliz com a vinda da chuva ou quando ganhava um presente. Passado um tempo, o homem sentiu que para dançar ele precisava de um barulho para acompanhar seus movimentos como seu próprio assovio, daí a origem dos instrumentos de sopro.

Por meio das pinturas e rabiscos que os homens das cavernas deixaram registrados nas paredes das cavernas, conclui-se que os primeiros movimentos que a nós chamamos de dança surgiram há mais de 15 mil anos.

A dança teve maior importância nas sociedades anteriores a valorização da palavra: a crescente importância dada à atividade mental e conseqüente abstração, tirou da dança o papel de meio de expressão de emoções, transferindo-o para a palavra. Assim, a dança começou a restringir-se à vida social.

Dessa forma, as culturas ocidentais deixaram de ser dançantes para se tornarem pensantes. No entanto, a dança, e, como parte dela, a dança social e também a dança de salão, continua expressando o pensamento e a emotividade da respectiva cultura.

 Photo by George Marks/Retrofile RF / Getty Images

Photo by George Marks/Retrofile RF / Getty Images

Muito provavelmente, as primeiras danças foram rituais ou místicas. O ser humano procurava (e até hoje procura) alcançar um bem estar que permite experiências transcendentais que o aproximem dos princípios místicos que acredita estarem guiando o mundo

Em pinturas de parede egípcias encontram-se as primeiras representações de dança de palco, ou seja, de uma forma artística de dançar cujo objetivo é entreter um público passivo: a dança se profissionalizou.

Durante a Idade Média e o Renascimento surgiu a dança como atividade social, ou seja, como expressão do fato de pertencer a determinada classe ou grupo social. As classes nobres diferenciavam-se das classes baixas, entre outros através das danças típicas, cuja aprendizagem fazia parte da educação. A aristocracia praticava as danças da corte, e o povo, as danças folclóricas. Surgiram então, então, nas cortes, os primeiros professores de dança e etiqueta. As habilidades de dançar, assim, estavam entre aquelas que qualificavam o indivíduo a fazer parte do grupo social ao qual pertencia por nascimento.