Dicas para uma pele perfeita

Use buchas vegetais ou industrializadas apenas uma vez por semana.

Marisa De Lucia


Quer coisa mais desagradável do que olhar no espelho e dar de cara com cravos, espinhas e os famosos miliuns, aquelas bolinhas de sebo que ficam sob a pele?
Essas impurezas produzidas pelas glândulas sebáceas, que a derme não conseguiu expelir, só serão eliminadas com uma boa limpeza de pele, que trará de volta o brilho e a vitalidade.

Enfim, para ter uma pele perfeita alguns cuidados são necessários. Afinal, as mudanças climáticas, a exposição ao sol e a poluição acabam trazendo danos no dia-a-dia.
Alguns tipos de pele conseguem se limpar naturalmente, mas a pele oleosa precisa de limpeza pelo menos uma vez por mês. Já a pele normal pode esperar mais um pouco.
Mas, cuidado, pois se for fazer esta limpeza em casa, lembre-se que se apertar um pouco mais poderá deixar a pele com cicatrizes. O ideal é molhar um algodão com água aquecida e deixe repousar por um tempo sobre o cravo ou a espinha. Depois, basta apertar com os dedos ao redor dos pontinhos fazendo pressão para baixo. No entanto, se estiver difícil para sair, desista.

Untitled-1.jpg

De acordo com documento emitido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, algumas medidas são fundamentais para manter a beleza natural de nossa pele. Entre elas, uma das principais é fugir do banho com água muito quente, pois ela retira a camada de oleosidade da pele. Outro alerta é não passar de 15 minutos debaixo do chuveiro, pois a água remove o hidratante natural da pele provocando o ressecamento. Quanto ao sabonete, esse deve ter ingredientes e emolientes que ajudam a manter a integridade da camada de oleosidade.
Poucos sabem, mas se usadas diariamente, as buchas vegetais ou esponjas industrializadas contribuem para retirar oleosidade da pele. Mesmo assim procure usá-las apenas para higienizar axilas, costas e pés e, uma vez por semana, para fazer esfoliação.
É fundamental aplicar um creme hidratante logo após o banho, pois ele ajuda a diminuir a evaporação de água pela pele e forma uma película protetora. Você pode também substituir o hidratante por um bom óleo de banho sem enxágue.
Lembre-se também que as regiões mais ressecadas do corpo, como cotovelos e joelhos, sofrem com o atrito das roupas e por isso tendem a ficar mais ressecadas. Por isso, sempre aplique um creme hidratante nessas áreas. A água também é um hidratante natural, mas desde que você tome pelo menos dois litros por dia.
Finalmente, passe sempre protetor solar nas mãos para que não fiquem ressecadas e procure praticar atividades físicas, pois elas contribuem para ativar a circulação trazendo mais nutrientes para a pele.

Dicas sobre limpeza de pele

Sabia que quem tem muitas espinhas não pode fazer?

Marisa De Lucia


Devo ou não fazer uma limpeza de pele? Parece incrível, mas muitos ainda se fazem esta pergunta. E a dúvida procede, pois, segundo dermatologistas, quem tem a pele cheia de espinhas amareladas devem evitar o procedimento, pois a infecção pode se disseminar.

Nesse caso, é preciso fazer um tratamento com o dermatologista e esperar as espinhas sumirem para evitar problemas maiores com a saúde cutânea. Afinal, a limpeza de pele deve ser feita para melhorar a aparência, não é mesmo?

E logo após tomar sol, quando a pele estiver bronzeada, é recomendável fazer uma limpeza de pele? A resposta dos dermatologistas também é não. Isto porque depois da exposição prolongada ao sol, a melanina -substância responsável pelo escurecimento da pele- está em plena atividade podendo aparecer manchas.

Untitled-1.jpg

Outra dúvida é se podemos tomar sol após ter feito uma limpeza de pele. Outra resposta negativa. É necessário ficar 48 horas sem se expor ao sol. E mais: ao se expor ao sol é preciso aplicar filtro solar com fator acima de 15.

E o que fazer para evitar os cravos, aqueles pontinhos pretos que insistem em marcar nosso rosto? Os tônicos e outros produtos adstringentes, assim como sabonetes de ação profunda podem trazer bons resultados, desde que indicados para seu tipo de pele. Outra dica é evitar dormir maquiada, pois os cosméticos entopem os poros.

Dicas para tratar cabelos étnicos.

Um bom corte é fundamental para esse tipo de cabelo

Por:Marisa De Lucia


Muitas das mulheres que têm cabelos crespos não sabem o que fazer para valorizá-los. Alisar ou manter os cachos bem definidos. O pior é o trabalho que eles dão quando os fios são rebeldes. Para ajudar a domar esse tipo de cabelo, aí vão algumas dicas de entendidos no assunto.

Mesmo não sendo contra os alisamentos, alguns especialistas observam que se em seu tipo físico predominam características africanas, ou seja, traços fortes no nariz e na boca, esse tipo de cabelo suaviza sua fisionomia. Já se alisá-los poderá endurecer sua aparência.

Um corte adequado é fundamental para cabelos étnicos. Para quem tem rosto fino, o ideal é cortá-los bem curtos e usar gel molhado para dar brilho e mantê-los no lugar.

O corte geométrico, além de cair bem em todas as ocasiões traz um ar de modernidade. As tranças e os dreadlocks também são uma boa opção para deixar os cabelos mais fashions, mas não são adequados para quem trabalha em empresa conservadora.

site.jpg

Já se você sonha com um cabelo liso, observe bem seus traços antes de optar por esse processo. Procure um bom profissional, de preferência especializado em cabelos étnicos, e ele saberá como alisar seus cabelos de maneira a deixar seus traços suaves.

Mas lembre-se que esse tipo de cabelo requer muitos cuidados como mantê-los sempre limpos, evitar água quente ao lavá-lo, escolhendo o shampoo adequado para seu tipo de cabelo e enxaguando com água abundante.

Após o enxágue, use um condicionador ou creme de enxaguar adequado e massageie os cabelos desembaraçando-os com um pente de dentes largos. Evite esfregá-los para que não se quebrem.

Finalmente, deixe-os secarem naturalmente, evitando o máximo possível o uso de secador.

Visagismo cuida da estética a partir do temperamento da pessoa

Livro traz orientações para estudantes e profissionais de beleza

Por Marisa De Lucia


O livro “Visagismo: harmonia e estética” do artista plástico e educador Philip Hallawell traz orientações para maquiadores e cabeleireiros sobre a arte de transformar o rosto e o corte do cabelo.

Este livro é indicado para cabeleireiros, maquiadores, profissionais de beleza e estudantes do visagismo -arte de embelezar ou transformar o rosto- utilizando cosméticos, tinturas e o corte do cabelo.

site.jpg

De acordo com Hallawell, o uso da linguagem visual na maquiagem e no corte de cabelo é importante para manter a apresentação social respeitada. O princípio do visagismo é justamente essa criação de imagem pessoal firme, partindo do pressuposto que a beleza é a manifestação da harmonia da vida.

Analisando o formato do rosto, profissão, situação pessoal, tom de pele e até gostos pessoais é possível contribuir para a auto-estima da pessoa que acaba procurando ajuda nas clínicas de estéticas, salões de beleza e spas. “Os profissionais devem estar antenados para essa situação”, alerta Hallawell.

Sua obra é útil também para os que querem conhecer princípios básicos de harmonia e estética do rosto, mostrando com detalhes como criar efeitos por meio da linguagem visual e da criatividade, fugindo das fórmulas e soluções padronizadas.

Hallawell apresenta diferentes tipos de comportamentos e temperamentos pesquisados no ser humano, classificando-os em quatro grupos:

  • Sanguíneo – Pessoas comunicativas, afetivas, impulsivas e extrovertidas;
  • Clérico – Pessoas determinadas, persistentes, teimosas e insensíveis;
  • Melancólico – Geralmente pessoas pensativas, habilidosas, organizadas e perfeccionistas;
  • Fleumático – São as pessoas diplomáticas; adaptáveis, indecisas e despojadas.

O educador acredita que, com essas dicas, os profissionais de estética terão mais facilidade em criar seu próprio marketing pessoal. “Todos passarão a se preocupar mais com as cores, linhas de rosto, cortes de cabelo e comportamentos, entre outros conceitos que revelam a personalidade de uma pessoa”, diz ele.

O livro “Visagismo: harmonia e estética” de Philip Hallawel, lançado pela Editora SENAC São Paulo, traz assuntos de estética; beleza; cosmetologia; beleza corporal; cuidados com a pele; face e percepção visual.

Você sabe qual é a melhor franja para seu tipo de rosto?

Uma franja inadequada poderá estragar seus cabelos

Por:Marisa De Lucia


Que as franjas estão em alta, não há dúvidas. Mas se a sua franja não combinar com seu tipo de rosto pode causar um grande estrago em sua aparência.

Se você tem o rosto redondo, evite a franja reta. Uma franja comprida caída na lateral poderá alongar o seu rosto.

Já se seu rosto tem o formato quadrado, a melhor opção são as franjas mais longas e picotadas nas pontas. Nesse caso, evite franjas curtas.

Para que tem rosto triangular as franjas retas, bem acima das sobrancelhas valorizam mais os traços do rosto.

Já para quem tem o rosto ovalado, qualquer tipo de franja fica bem. Tantos as mais curtas como as longas, caídas na lateral. Daí resta saber qual estilo combina mais com seu jeito de ser.

site.jpg

Foi nos anos 60, com as celebridades, que a franja começou a fazer um grande sucesso. Hoje voltou à tona e até os homens estão usando, copiando a moda lançada por Bill Gates. É grande o universo de jovens executivos que aderiram a moda das franjas picotadas, desfiadas, espetadas ou mesmo as mais retas e até as caídas na lateral.

Entre as jovens atrizes que aderiram a franja mais recentemente estão Giovanna Antonelli com sua franja lateral e Carolina Dieckmann com sua franjinha reta bem rente aos olhos.

Como cuidar da pele oleosa

Uma das recomendações é não lavar o rosto mais que duas vezes ao dia

Por Marisa De Lucia


Quem tem pele oleosa sabe que não é nada fácil manter a pele saudável e bonita, pois os poros dilatados deixam a pele brilhante e na maioria das vezes com cravos e espinhas.

Pesquisas apontam que a oleosidade da pele atinge entre 80% e 90% das mulheres jovens e é causada pela produção excessiva de sebo pelas glândulas sebáceas. Um estudo realizado na Holanda com mulheres entre 15 e 20 anos mostrou que um terço das mulheres que tinham pele oleosa manifestou alteração de sua auto-estima, tais como se sentir feia (35%), desconfortável (38%) ou com aspecto desleixado (39%).

Um dos principais motivos da pele oleosa é a hereditariedade, mas outros fatores como alterações hormonais na tireoide e nos ovários, o excesso de sol, alimentação inadequada e o estresse também contribuem pra agravar o problema.

Para cuidar da pele oleosa é necessário limpar, tonificar, hidratar, proteger do sol e ainda por cima saber escolher a maquiagem que for usar. Já nos casos mais graves é necessário recorrer a sessões de peelings e até mesmo fazer uso de medicamentos via oral. Mas, lembre-se, somente com a recomendação de um dermatologista.

Ao contrário do que se pensa, de que a pele oleosa deve ser lavada a todo instante, o ideal é não lavar o rosto mais que duas vezes ao dia, e sempre com água fria, para não estimular a produção de sebo. E mais: usar sabonetes neutros ou formulados especialmente para sua pele, com anti-sépticos e bactericidas.

Para tonificar, procure usar produtos adstringentes, sem álcool na fórmula, para fechar os poros e equilibrar o pH. Dessa forma, sua pele ficará calma e sedosa.
Já na hora de hidratar, é ideal fazer uso de hidratantes e filtro solares livres de óleo e produtos à base de ácidos como o retinoico, dede que indicados por um dermatologista.

Os hidratantes com filtro ajudam a retardar o envelhecimento. Já se for usar um protetor solar em cima do hidratante escolha em forma de gel.

Na hora da maquiagem é importante evitar os pós faciais compactos, pois ressecam a pele e obstruem os poros aumentando a oleosidade e acelerando o surgimento das indesejáveis espinhas.

Finalmente, para retirar a maquiagem a noite é aconselhável usar demaquilante sem álcool e fazer uma esfoliação suave uma vez por semana ou a cada 15 dias.

Como ganhar uns quilinhos

A magreza excessiva pode trazer sérias complicações à saúde

Marisa De Lucia


Inúmeras são as propagandas de produtos que garantem a perda de peso em poucos dias, conquistando assim um corpo perfeito. Mas, e quem é muito magro e precisa ganhar uns quilinhos, o que deve fazer?

Ao contrário do que se pensa a solução não está em aumentar a ingestão de alimentos, porque dessa forma irá aumentar a porcentagem de gordura. A melhor maneira é ganhar massa muscular.

Por isso, o ideal é fazer uma dieta rica em carboidratos e proteínas, evitando a gordura. Suplementos alimentares, como os milkshakes hipercalóricos, também são recomendados, contudo, só a alimentação não é suficiente. É necessário também praticar exercícios físicos como musculação, optando por um trabalho de ganho de massa.

Antes de tudo, deve-se procurar um especialista, que irá medir a massa corpórea, e a partir dos resultados irá indicar a melhor dieta e a sequência de exercícios que deverão ser praticados regularmente.

site.jpg

Para saber se você precisa engordar, calcule seu IMC (Índice de Massa Corporal) dividindo seu peso pela sua altura multiplicada por ela mesma. Se o resultado for menor que 19, você pode se considerar um “magro excessivo”, ou seja, uma pessoa com peso deficiente.

IMC * = peso/altura x altura

Exemplo: 1.70 de altura e 50 kg

Multiplica-se a altura: 1.70 X 1.70 = 2.89

Peso 50/2.89 =

IMC = 17,30 (abaixo de 19)

A magreza pode ser causada por ingestão insuficiente de alimentos; mau aproveitamento pelo organismo do alimento consumido; excesso de atividade física; doenças debilitantes; distúrbios glandulares como hipertiroidismo; estresse ou ainda manifestações neuróticas acompanhadas de aversão à comida, ou seja, anorexia nervosa.

Não se esqueça de que seja qual for a causa, o baixo peso deve ser tratado, pois um IMC menor que 19 traz maior risco de mortalidade. A subnutrição acarreta infecções distúrbios endócrinos e até mesmo alguns problemas psicológicos.

Mas, lembre-se que para engordar não é preciso comer muito, mas comer alimentos calóricos. Talvez seja necessário complementar a alimentação com vitaminas. Daí a necessidade de se procurar a ajuda de um nutricionista.

Cuidados com a depilação definitiva

É fundamental procurar um especialista para evitar incidentes.

Por:Marisa De Lucia


Para quem tem crescimento anormal dos pelos, os especialistas recomendam a depilação definitiva, que destrói as células matrizes inibindo assim o crescimento do pelo.

Quem optar pela depilação definitiva (eletrólise) deve, antes de tudo, fazer um exame médico para detectar a causa do crescimento exagerado dos pelos, pois a eletrólise irá combater somente o efeito não estético.

Escolha do profissional, que tenha domínio total da técnica da eletrólise para poder executá-la sem que no ocorram problemas como a penetração da agulha além da raiz resultando na destruição do bulbo ou a penetração insuficiente, acarretando uma queimadura superficial.

Untitled-2.jpg

Outro cuidado a ser tomado é em relação ao tempo de descarga, pois um tempo acima do necessário poderá provocar não só queimadura da pele, mas também cicatrizes. Embora o controle da intensidade deva estar de acordo com a resistência do pelo, a sensibilidade da pele deve ser considerada.

Após a depilação, deve-se evitar maquiagem e tomar sol por um período de 12 horas, usar somente sabonete antisséptico e aplicar um gel cicatrizante todos os dias durante pelo menos uma semana.

Como cuidar dos pés nos dias frios

Os cuidados devem ser redobrados

Por Marisa De Lucia


No frio, os pés são os que mais sofrem com a falta de hidratação. Além de ficarem mais ressecados, o uso de sapatos fechados pode aumentar a incidência de fungos e da descamação entre os dedos e na sola. A dermatologista Regina Schechtman, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, afirma que, com alguns cuidados básicos, é possível transformar a aparência dos pés em pouco tempo.

Untitled.jpg

Segundo ela, o primeiro passo é identificar se o ressecamento é causado pela falta de hidratação ou se ele sinaliza uma micose. Isto porque alguns fungos provocam ressecamento, deixando a pele áspera e até mesmo rachada.

Nesta época do ano a incidência de micoses cresce por causa da umidade nos pés causada pelos sapatos fechados e, por isso, se mesmo com o hidratante a situação não melhorar, é necessário procurar um dermatologista.

O ideal para pés muito ressecados são os hidratantes à base de uréia e ácido salicílico, que hidratam e afinam a pele. Já para quem tem micose, o tratamento deve ser feito com antifúngicos tópicos ou até mesmo orais, mas indicados por um especialista.

A dermatologista recomenda ainda o uso de meias 100% algodão e a limpeza do interior dos sapatos com substâncias como o Lysoform. “Não é bom usar o mesmo sapato todos os dias. Quem tem tendência a micoses pode também usar um talco que combata os fungos”, observa.

Dicas de cuidados com os pés

Lembre-se que calçados apertados e salto altos prejudicam os pés.

• Lave os pés diariamente;
• Mergulhe-os em água quente com sais de banho durante cinco minutos;
• Massageie os pés com um produto esfoliante insistindo nas zonas mais ásperas. Em seguida, enxágue-os bem e seque-os com uma toalha.
• Seque muito bem os espaços entre os dedos, assim evitará o aparecimento de micoses e frieiras.
• Corte sempre as unhas para não encravarem.
• Aplique diariamente um creme hidratante, massageando bem para que seja absorvido.

• Use óleo de amêndoas-doces para empurrar as cutículas. Evite cortá-las, pois elas protegem as unhas das infecções.
• Use sapatos bem macios, e nunca apertados.

Cuidados com os cabelos no inverno

O frio os tornam quebradiços e opacos

Por Marisa de Lúcia


Quem pensa que é só no verão que os cabelos precisam de cuidados especiais se engana. Isto porque no inverno, o frio excessivo e o vento tornam os cabelos opacos e quebradiços.

pasta.jpg

Um dos erros é lavar os cabelos com água quente, pois abre demais os poros do couro cabeludo danificando os cabelos, tornando-os ainda mais ressecados ou extremamente oleosos e até com caspa, dependendo do tipo de cabelo de cada pessoa. Por isso, procure jogar somente água morna nos cabelos.

Muitas mulheres reclamam que seus cabelos caem mais durante o outono e o inverno. Mas isto ocorre porque o tempo não deixa com que o couro cabeludo se seque completamente deixando, portanto, os fios mais fracos, desprendendo-os. Já se o cabelo cair de maneira que supere a perda de 50 fios por dia, é indicado fazer um tratamento reestruturador que hidrate o couro cabeludo da raiz às pontas ou, ainda, se a queda persistir procurar um especialista.

Já para as que têm os cabelos mais longos, o cuidado deve ser ainda maior, pois no inverno eles ficam com pontas mais ressecadas e necessitam de mais hidratação. E se os cabelos estão pintados o cuidado deve ser redobrado, pois a descoloração abre muito as escamas dos fios e os deixam mais fracos.

Outra dica é não usar elásticos para prender os cabelos no inverno, pois como há menor produção das glândulas sebáceas os fios se quebram e tendem a ressecar. O mais correto é usar lenços e faixas.