Você sabia como surgiu o primeiro shampoo?

Inicialmente era chamado de produto de limpeza para cabelos

Por:Marisa De Lucia


Foi na Alemanha, em 1890, que se deu a criação de um detergente para limpar os cabelos. Mas somente depois da Primeira Guerra Mundial esse produto passou a ser oferecido comercialmente como produto para limpeza de cabelos.

Naquele período, antes da criação do tal detergente, as pessoas utilizavam os sabonetes para lavar os cabelos. O nome shampoo teve origem na Inglaterra e veio do hindu “champo”, que significa amassar ou massagear.

Mas não pensem que tinha tanta variedade como nos dias de hoje. Os shampoos, na verdade, eram muito parecidos. Todos eles continham em sua fórmula os tensoativos, ou seja, substância que altera a superfície de contato entre dois líquidos, provocando a limpeza do cabelo.

Untitled-1.jpg

O primeiro empresário a produzir shampoo industrialmente foi o americano John Breck, em 1930. Na época, eram comercializadas em grande escala somente duas linhas de shampoo, uma para cabelos secos e outra para cabelos oleosos.

Foi somente a partir do século XX que diferentes tipos de shampoo foram elaborados para cada tipo de cabelo. E para baratear o preço final do produto, é que começaram a partir desse período a produzir o shampoo através de produtos sintéticos.

Como surgiram os depiladores

Em 1500 a.C. o depilador era feito de sangue de diversos animais

Por Marisa De Lucia


Pouca gente sabe, mas de acordo com a história, a depilação com fins estéticos data de 1500 a.C e foi praticada por muitas civilizações. Assim como os cremes depiladores, que também são mencionados em todas as épocas.

site.jpg

Conta-se que na Antiguidade os homens removiam os pelos com um depilador feito de sangue de diversos animais, gordura de hipopótamo, carcaça de tartaruga e trissulfeto de antimônio (oxidante).

Parece até mentira, mas os romanos se referem a composições depiladoras que continham soda cáustica! As mulheres gregas, por exemplo, levavam a vaidade ao ponto de arrancar os pelos pubianos com as mãos e queimá-los com cinzas quentes.

Já as mulheres árabes preparavam um xarope, feito de partes iguais de açúcar e de suco de limão com água, espalhando-o sobre a pele e deixando-o secar para depois extrair os pelos. Técnica esta semelhante à da cera, inventada por Peronet, em Paris, no ano de 1742.

Hoje existe uma grande variedade de depiladores e formas de se depilar. A grande procura por depiladores à base de própolis -substância derivada das resinas e colhida pelas abelhas- se deve ao fato de ser um produto essencialmente natural e livre de reações colaterais.

Para se ter uma ideia, a própolis já era usada na Antiguidade por médicos egípcios, em cirurgias, por suas qualidades anestésicas e cicatrizantes. Daí ter sido difundida em todo o mundo, graças aos incontáveis benefícios que traz para o organismo na cura de doenças.

A própolis é composta por 50% de resinas com bálsamo de composição aromática; 30% de cera; 10% de pólen; 10% de óleos entéricos além de gorduras, ácidos amicticos e ácidos orgânicos. Isso sem contar que possui vitaminas de complexo B, C, E, H, provitamina A, flavonóides, enzimas e antibióticos, entre outros elementos.

Como surgiu o sabonete?

E pensar que seu primeiro aroma era de óleo de oliva

Por Marisa De Lucia


Primeiro surgiu o sabão, inventado pelos fenícios em 600 a.C. Mais tarde, os espanhóis acrescentaram óleo de oliva para dar um cheiro mais suave. Mas quem deu o nome de sabonete foram os franceses da cidade de Savona, de onde tiraram a palavra Savon (sabão) e Savonnette (sabonete no diminutivo).

site.jpg

Conta-se que para fazer o sabão, os fenícios ferviam água com banha de cabra e cinzas de madeira, o que o tornava mais pastoso. Já o sabão sólido só apareceu no século VII, quando os árabes descobriram o processo de saponificação, uma mistura de óleos naturais, gordura animal e soda cáustica, que endurece depois de fervida.

Em 1878, Harley Procter, dono de uma fábrica de velas e sabão, disse para seu primo, o químico James Gamble, que queria produzir um sabão branco, cremoso e delicadamente perfumado. Assim se chegou à nova fórmula, que produzia uma rica espuma e tinha uma consistência homogênea.

Logo que inventaram a luz elétrica, Harley Procter previu que a eletricidade poderia acabar de uma vez com o seu lucrativo negócio de velas, e decidiu então promover o seu novo sabão inventando em 1978 o “Roger & Gallet”, primeiro sabonete redondo, envolto artesanalmente em papel drapeado.

Consta que o sabonete mais antigo, que é comercializado até hoje, é o Lux, cuja primeira fabricação data de 1925. No Brasil, ele chegou em 1932, com o nome de Lever, empresa que o fabricava. A primeira representante da marca foi a atriz Claudette Colbert, que interpretou Cleópatra no cinema, em 1934.

O slogan “sabonete das estrelas de cinema” veio da matriz da Lever, nos Estados Unidos, a partir da década de 50, uma vez que teve como garotas propagandas Elizabeth Taylor, Lana Turner, Ava Gardner, Dorothy Lamour, Judy Garland,  Rita Hayworth, Grace Kelly, Joan Crawford, Kim Novak e Gina Lollobrigida, entre outras.

Você sabia como surgiu o filtro solar?

Sabe-se que o mais antigo era feito de mamona

Por:Marisa De Lucia


Quem pensa que essa preocupação toda com a proteção da pele é recente está muito enganado. Desde as antigas civilizações os médicos recomendavam a exposição à luz solar como uma forma de evitar doenças, mas essa exposição deveria ser moderada porque o sol em excesso fazia e faz mal à saúde.

No Egito antigo havia diversos inventos do filtro solar, sendo o mais antigo o feito de mamona, em 7800 a.C. Na lista egípcia havia extrato de magnólia, jasmim e óleo de amêndoa. Já na Grécia, 400 a.C., na realização dos Jogos Olímpicos alguns atletas competiam nus em certas modalidades, utilizando uma mistura de óleo de Oliva e areia para se protegerem dos raios nocivos do sol. A moda do bronzeamento só teve início em 1930, na França, Mas alguns anos antes já constavam registros de protetores feitos em escala comercial nos Estados Unidos e na Austrália.

Untitled-1.jpg

O primeiro protetor realmente eficaz foi desenvolvido somente em 1944, pelo americano Benjamin Greene. Por ver as queimaduras na pele dos soldados que voltavam da Segunda Guerra Mundial ele decidiu criar algo que pudesse ser útil na proteção da pele contra os raios nocivos do sol. Esse protetor solar era à base de petróleo, de cor vermelha e um tanto viscosa, foi então batizada a marca de Coppertone. Ao longo do tempo os protetores foram aprimorados, apresentando diversas versões, inclusive para todos os tipos de peles. Atualmente, o filtro solar se tornou um recurso indispensável na prevenção do câncer de pele, causado em especial pelo aquecimento global.

Os gregos antigos já tentavam se proteger do sol besuntando a pele com azeite, mas isso só resultava numa leve fritura. Só em 1944 surgiu o primeiro filtro solar eficiente e o estopim da invenção foram as queimaduras que os soldados aliados sofriam nos campos de batalha da 2ª Guerra Mundial.

Como surgiu o desodorante

E pensar que os romanos usavam almofadas aromatizadas nas axilas…

Por Marisa De Lucia


O desodorante, produto que não pode faltar entre os itens de higiene, tem mais de dois séculos de existência. O mais curioso é que desde a época do Império Romano, as pessoas tentavam controlar o suor e o consequente odor provocado pelo mesmo usando debaixo das axilas pequenas almofadas aromatizadas.

site.jpg

O primeiro desodorante do qual se tem notícia surgiu no século XX, nos Estados Unidos. À base sulfato de potássio e alumínio, o produto até ajudava a eliminar o odor, mas seu preço até então era muito alto.

No entanto, foi somente depois da segunda guerra mundial que seu preço caiu e finalmente o uso do desodorante se espalhou por todos os países ocidentais. O primeiro desodorante foi lançado no mercado pela marca Odorono, mas inicialmente era vendido apenas em farmácias.

A propaganda da época mostrava uma bela jovem fugindo do galã ao comprovar que o desodorante tinha vencido (aliás, temos comerciais semelhantes até os dias de hoje). Dessa forma o amor “à primeira vista” deu lugar ao amor “ao primeiro olfato”.

Depois disso, surgiu uma ampla gama de variedades. Desde desodorantes para as axilas, para os pés, para a higiene íntima, para o hálito, para desinfetar e aromatizar o ar, para a roupa, para o cabelo, contra o fumo etc.

Apresentado em diversas formas, você pode optar pelos desodorantes aromatizados ou sem perfume, com ou sem álcool e ainda os mais sofisticados, que possuem até agentes bactericidas.

O desodorante pode ser antitranspirante, que fecha cerca de 50% das glândulas sudoríparas (suposto de causar câncer), ou ainda antiperspirante que reduz a transpiração e consequentemente a formação do mau-cheiro.

Você sabia como surgiu a dança?

Há mais de 15 mil anos atrás já foram registrados os primeiros movimentos

Marisa De Lucia


O homem foi o primeiro a manifestar o movimento de dança. Contudo, naquela época ela era executada quando alguém se sentia feliz com a vinda da chuva ou quando ganhava um presente. Passado um tempo, o homem sentiu que para dançar ele precisava de um barulho para acompanhar seus movimentos como seu próprio assovio, daí a origem dos instrumentos de sopro.

Por meio das pinturas e rabiscos que os homens das cavernas deixaram registrados nas paredes das cavernas, conclui-se que os primeiros movimentos que a nós chamamos de dança surgiram há mais de 15 mil anos.

A dança teve maior importância nas sociedades anteriores a valorização da palavra: a crescente importância dada à atividade mental e conseqüente abstração, tirou da dança o papel de meio de expressão de emoções, transferindo-o para a palavra. Assim, a dança começou a restringir-se à vida social.

Dessa forma, as culturas ocidentais deixaram de ser dançantes para se tornarem pensantes. No entanto, a dança, e, como parte dela, a dança social e também a dança de salão, continua expressando o pensamento e a emotividade da respectiva cultura.

Photo by George Marks/Retrofile RF / Getty Images

Photo by George Marks/Retrofile RF / Getty Images

Muito provavelmente, as primeiras danças foram rituais ou místicas. O ser humano procurava (e até hoje procura) alcançar um bem estar que permite experiências transcendentais que o aproximem dos princípios místicos que acredita estarem guiando o mundo

Em pinturas de parede egípcias encontram-se as primeiras representações de dança de palco, ou seja, de uma forma artística de dançar cujo objetivo é entreter um público passivo: a dança se profissionalizou.

Durante a Idade Média e o Renascimento surgiu a dança como atividade social, ou seja, como expressão do fato de pertencer a determinada classe ou grupo social. As classes nobres diferenciavam-se das classes baixas, entre outros através das danças típicas, cuja aprendizagem fazia parte da educação. A aristocracia praticava as danças da corte, e o povo, as danças folclóricas. Surgiram então, então, nas cortes, os primeiros professores de dança e etiqueta. As habilidades de dançar, assim, estavam entre aquelas que qualificavam o indivíduo a fazer parte do grupo social ao qual pertencia por nascimento.

Você sabe como surgiu a sopa?

E que eram servidas em buracos de pedras aquecidas?
Por Marisa De Lucia


A História da Sopa perde-se nos tempos. Foi prato principal dos camponeses em todo o mundo. A palavra sopa vem do latim «sop» que significa «colocar fatias de pão no prato e sobre elas derramar caldo quente».

Untitled.jpg

Na época do Inverno, de escassez de caça e colheitas, nas aldeias, fazia-se diluir o pouco alimento em água, com o objetivo de reparti-lo. Surgiu assim uma fonte de calor para alimentar e aquecer as pessoas.

Na Idade Média, os médicos, reconhecendo as virtudes terapêuticas das sopas, prescreviam-nas antes de qualquer remédio. Todas as pessoas devem comer uma sopinha, pois além de preparar o estômago para receber os outros alimentos é uma fonte de vitaminas, pelos ingredientes que entram na sua confecção!

Desde que o homem come sopa, esta passou a ser o prato principal da refeição, por ser econômica e bastante nutritiva. No entanto não eram apenas os mais pobres que a apreciavam, na própria corte real, a sopa era muito consumida.

E o mais curioso: quando ainda não havia utensílios de metal ou barro, a sopa era confeccionada através de buracos existentes em pedras que eram aquecidas.

Você sabe como surgiu a pasta de dentes?

Egípcios usavam há 2.400 anos e continha pimenta

Por Marisa De Lucia


Estudos mostram que o creme dental surgiu há cerca de 4 mil anos, no Egito. Contudo, tratava-se de uma substância altamente abrasiva e adstringente, à base de pedra-pomes pulverizada e vinagre, que era esfregada nos dentes com um pequeno ramo de árvore.

pasta.jpg

Recentemente, foi encontrada em uma coleção de papiros da Biblioteca Nacional de Viena, Áustria, uma fórmula egípcia de pasta de dente, que data do século 4 a.C., cujos ingredientes incluíam sal, menta, pimenta e flor de íris seca, portanto, mais suaves.

Mas foi em 1850 que o dentista americano Washington Wentworth Sheffield desenvolveu um pó para limpar os dentes que se tornou muito popular entre seus pacientes. Lucius, filho de Sheffield e também dentista, ajudou-o a modificar a fórmula, criando assim o Creme Dentifrício Dr. Sheffield, a primeira pasta de dente.

E você já parou pra pensar como é que hoje se coloca até listrinhas na pasta de dentes? Acontece que o tubo tem um anel de pasta colorida em volta do bocal. Quando ele é comprimido, a pressão feita é a mesma em todo o seu interior. Por isso, a pasta branca e a colorida saem do tubo na mesma proporção, formando o aspecto listrado.

De onde vem o pente?

Inicialmente se usava uma concha com ranhuras

Por Marisa De Lucia


O primeiro modelo de pente foi encontrado na natureza: uma concha com ranhuras. A palavra pente tem origem no latim pecten, que é o nome da concha (pectens jacobeus) cheia de ranhuras, que lembram os dentes de um pente.

pen.jpg

Fabricado de ossos de animais ou de madeira, às vezes cravejado de pedras preciosas, o pente era item indispensável das egípcias nobres. Foi levado para Roma por soldados, e seu uso se espalhou. A penteadeira, com espelho e gavetas, tornou-se móvel do quarto de dormir no século XX.

Mas foi em Roma que surgiu o primeiro pente de bolso, bolado para ser usado nos intervalos das lutas entre leões e cristãos, no Coliseu. Isso é uma pequena mostra de que a vaidade é levada a sério na história da humanidade.

O que vem provar que o pente é um objeto usado há muito tempo, é que foram encontrados alguns desses objetos nas tumbas das civilizações do mar Egeu.

Você sabe como surgiu a escova de dentes?

Antigamente eram usados ramos ou gravetos

Por Marisa De Lucia


Manuscritos encontrados na Babilônia, em 3.500 a.C., revelam que o meio utilizado para a limpeza dos dentes eram palitos de ouro. Contudo, os auxiliares mais primitivos na limpeza dos dentes foram pedaços de ramos ou gravetos, que eram esfregados ou atritados até tirar os resíduos de alimentos.

escova.jpg

Em 3.000 a.C., Heri-Ré, tido como o primeiro cirurgião-dentista conhecido na história, recomendava os dedos para a limpeza dos dentes. A literatura chinesa menciona, em 1.600 a.C., o “datuna”, que era uma haste de madeira macia que as pessoas mastigavam para higienizar os dentes.

No início da Era Cristã, os romanos demonstravam preocupação com a higiene da boca e, por volta de 100 d.C, Plínio, o Jovem, estabeleceu alguns conceitos sobre o tipo de material utilizado para a confecção da primeira escova dental. Ele alertava que escovas confeccionadas com penas de urubu não eram aconselháveis, por causar mau hálito, sendo o ideal escovas com cerdas de porco-espinho.

Em 1488, no Reino Unido, James IV adquiriu duas escovas de ouro com uma corrente para usar ao redor do pescoço. Contudo, devido ao alto custo, as escovas constituíam um privilégio das classes sociais mais abastadas, sendo consideradas obras de arte, com cabos ornamentados por metais e pedras preciosas.

Por volta desta época, eram confeccionadas na China escovas que tinham por matéria-prima pelo de porco e crina ou cauda de cavalo, fixados em um osso bovino ou marfim, mas observaram que machucavam a gengiva das pessoas.

A escova dental parecida com as atuais surgiu em 1780, feita por Addis, em um cabo de osso com pelos naturais introduzidos em buracos feitos em uma das extremidades e presos por arame. A primeira patente da escova de dentes foi feita em 1857 por Wadsworth e em 1880 começaram a ter seus cabos feitos de plástico.

A partir disso, os Estados Unidos começaram a estudar tal situação e em 1938 fabricaram as escovas de dente com cerdas de nylon, macias e arredondadas permitindo limpar todos os dentes sem machucar as gengivas. Com o sucesso das novas escovas, outros modelos foram surgindo como as de cerdas macias para prevenir possíveis machucados na boca e cerdas médias e duras para os que acreditavam serem melhores para limpar.