Você sabia como surgiu o filtro solar?

Sabe-se que o mais antigo era feito de mamona

Por:Marisa De Lucia


Quem pensa que essa preocupação toda com a proteção da pele é recente está muito enganado. Desde as antigas civilizações os médicos recomendavam a exposição à luz solar como uma forma de evitar doenças, mas essa exposição deveria ser moderada porque o sol em excesso fazia e faz mal à saúde.

No Egito antigo havia diversos inventos do filtro solar, sendo o mais antigo o feito de mamona, em 7800 a.C. Na lista egípcia havia extrato de magnólia, jasmim e óleo de amêndoa. Já na Grécia, 400 a.C., na realização dos Jogos Olímpicos alguns atletas competiam nus em certas modalidades, utilizando uma mistura de óleo de Oliva e areia para se protegerem dos raios nocivos do sol. A moda do bronzeamento só teve início em 1930, na França, Mas alguns anos antes já constavam registros de protetores feitos em escala comercial nos Estados Unidos e na Austrália.

Untitled-1.jpg

O primeiro protetor realmente eficaz foi desenvolvido somente em 1944, pelo americano Benjamin Greene. Por ver as queimaduras na pele dos soldados que voltavam da Segunda Guerra Mundial ele decidiu criar algo que pudesse ser útil na proteção da pele contra os raios nocivos do sol. Esse protetor solar era à base de petróleo, de cor vermelha e um tanto viscosa, foi então batizada a marca de Coppertone. Ao longo do tempo os protetores foram aprimorados, apresentando diversas versões, inclusive para todos os tipos de peles. Atualmente, o filtro solar se tornou um recurso indispensável na prevenção do câncer de pele, causado em especial pelo aquecimento global.

Os gregos antigos já tentavam se proteger do sol besuntando a pele com azeite, mas isso só resultava numa leve fritura. Só em 1944 surgiu o primeiro filtro solar eficiente e o estopim da invenção foram as queimaduras que os soldados aliados sofriam nos campos de batalha da 2ª Guerra Mundial.

Como cuidar da pele oleosa

Uma das recomendações é não lavar o rosto mais que duas vezes ao dia

Por Marisa De Lucia


Quem tem pele oleosa sabe que não é nada fácil manter a pele saudável e bonita, pois os poros dilatados deixam a pele brilhante e na maioria das vezes com cravos e espinhas.

Pesquisas apontam que a oleosidade da pele atinge entre 80% e 90% das mulheres jovens e é causada pela produção excessiva de sebo pelas glândulas sebáceas. Um estudo realizado na Holanda com mulheres entre 15 e 20 anos mostrou que um terço das mulheres que tinham pele oleosa manifestou alteração de sua auto-estima, tais como se sentir feia (35%), desconfortável (38%) ou com aspecto desleixado (39%).

Um dos principais motivos da pele oleosa é a hereditariedade, mas outros fatores como alterações hormonais na tireoide e nos ovários, o excesso de sol, alimentação inadequada e o estresse também contribuem pra agravar o problema.

Para cuidar da pele oleosa é necessário limpar, tonificar, hidratar, proteger do sol e ainda por cima saber escolher a maquiagem que for usar. Já nos casos mais graves é necessário recorrer a sessões de peelings e até mesmo fazer uso de medicamentos via oral. Mas, lembre-se, somente com a recomendação de um dermatologista.

Ao contrário do que se pensa, de que a pele oleosa deve ser lavada a todo instante, o ideal é não lavar o rosto mais que duas vezes ao dia, e sempre com água fria, para não estimular a produção de sebo. E mais: usar sabonetes neutros ou formulados especialmente para sua pele, com anti-sépticos e bactericidas.

Para tonificar, procure usar produtos adstringentes, sem álcool na fórmula, para fechar os poros e equilibrar o pH. Dessa forma, sua pele ficará calma e sedosa.
Já na hora de hidratar, é ideal fazer uso de hidratantes e filtro solares livres de óleo e produtos à base de ácidos como o retinoico, dede que indicados por um dermatologista.

Os hidratantes com filtro ajudam a retardar o envelhecimento. Já se for usar um protetor solar em cima do hidratante escolha em forma de gel.

Na hora da maquiagem é importante evitar os pós faciais compactos, pois ressecam a pele e obstruem os poros aumentando a oleosidade e acelerando o surgimento das indesejáveis espinhas.

Finalmente, para retirar a maquiagem a noite é aconselhável usar demaquilante sem álcool e fazer uma esfoliação suave uma vez por semana ou a cada 15 dias.

Como surgiu o desodorante

E pensar que os romanos usavam almofadas aromatizadas nas axilas…

Por Marisa De Lucia


O desodorante, produto que não pode faltar entre os itens de higiene, tem mais de dois séculos de existência. O mais curioso é que desde a época do Império Romano, as pessoas tentavam controlar o suor e o consequente odor provocado pelo mesmo usando debaixo das axilas pequenas almofadas aromatizadas.

site.jpg

O primeiro desodorante do qual se tem notícia surgiu no século XX, nos Estados Unidos. À base sulfato de potássio e alumínio, o produto até ajudava a eliminar o odor, mas seu preço até então era muito alto.

No entanto, foi somente depois da segunda guerra mundial que seu preço caiu e finalmente o uso do desodorante se espalhou por todos os países ocidentais. O primeiro desodorante foi lançado no mercado pela marca Odorono, mas inicialmente era vendido apenas em farmácias.

A propaganda da época mostrava uma bela jovem fugindo do galã ao comprovar que o desodorante tinha vencido (aliás, temos comerciais semelhantes até os dias de hoje). Dessa forma o amor “à primeira vista” deu lugar ao amor “ao primeiro olfato”.

Depois disso, surgiu uma ampla gama de variedades. Desde desodorantes para as axilas, para os pés, para a higiene íntima, para o hálito, para desinfetar e aromatizar o ar, para a roupa, para o cabelo, contra o fumo etc.

Apresentado em diversas formas, você pode optar pelos desodorantes aromatizados ou sem perfume, com ou sem álcool e ainda os mais sofisticados, que possuem até agentes bactericidas.

O desodorante pode ser antitranspirante, que fecha cerca de 50% das glândulas sudoríparas (suposto de causar câncer), ou ainda antiperspirante que reduz a transpiração e consequentemente a formação do mau-cheiro.

Como combater a acne

Parte do segredo está nos alimentos

Por Marisa De Lucia


Quem pensa que é só adolescente que tem espinha está muito enganado. Problemas hormonais e de estresse são as causas mais frequentes desse desconforto que atinge grande parte da população.

pasta.jpg

Um estudo publicado no Journal of the American Academy of Dermatology revelou que, dos 20 aos 29 anos, 50,9% das mulheres sofrem com cravos e espinhas, que podem ser do tipo persistente, que resiste desde a adolescência, ou então do tipo surpresa, que surge do nada.

Mas a grande notícia é que não são só os tratamentos caros que podem combater ou prevenir a acne. Os nutrientes encontrados nos alimentos têm propriedades antiinflamatórias, regulando os níveis dos ácidos graxos pró-inflamatórios secretados pelas glândulas sebáceas.

Portanto, além de limpar a pele diariamente, de manhã e à noite, deve-se evitar gordura e açúcar, consumir alimentos ricos em fibra e tomar, no mínimo, oito copos de água por dia, além de chá verde que é um excelente desintoxicante.

Entre os alimentos que combatem a acne estão ainda verduras, legumes, frutas -em especial, mamão, manga e goiaba- gema de ovo, cenoura, batata doce, germe de trigo, castanha-do-pará, alho, semente de girassol e abóbora.

Outros cuidados são necessários para quem tem problemas com espinhas: após limpar a pele, use um tonificante sem álcool para acalmar e equilibrar a oleosidade. Em seguida, hidrate-a mesmo que seja oleosa. Nesse caso, use um hidratante em gel.

Procure deixar a pele respirar, diminuindo o uso de maquiagem; seque o rosto com toalhas de papel para evitar a contaminação com bactérias; lave frequentemente o cabelo e evite ficar passando a mão nos fios; de vez em quando faça uma limpeza de pele com um especialista, para retirar cravos e espinhas e complemente com uma esfoliação. Finalmente, fuja do estresse, pois embora por si só não provoque o aparecimento da acne, ele pode piorar bastante o processo.

Segue receita de uma máscara caseira para se livrar das espinhas: coloque numa panela 250 ml de água, 2 colheres de sopa de argila medicinal, meia colher de enxofre e 1 colher de camomila. Deixe a água ferver e adicione o enxofre, a argila e a camomila. Aplique a máscara enquanto estiver morna, deixando agir por 15 minutos, e depois passe um hidratante facial adequado para seu tipo de pele.

Veja quais são os tipos de pele

Por Marisa De Lucia


Antes de sair passando qualquer creme e comprometer seu visual com manchas ou acnes, o ideal é em primeiro lugar saber qual o seu tipo de pele. Seca, oleosa ou mista? Composta de três camadas – epiderme (camada mais superficial), derme (responsável pela sustentação dos tecidos) e hipoderme (camada mais profunda) – a pele é a expressão do seu equilíbrio interior.

escova.jpg

A pele oleosa caracteriza-se pela produção excessiva de gordura, tem poros abertos, aspecto brilhante e tendência a acne. Neste caso, dê preferência aos produtos em gel, pois contêm menos óleo e mais água, portanto se evaporam rapidamente em contato com a pele.

Com vasos e veias aparentes, a pele sensível tem coloração avermelhada, apresenta pontos de descamação e geralmente tem poros abertos. Para esse tipo de pele, use produtos em forma de gel.

A aparência da pele normal é nem brilhante nem opaca, com poros levemente abertos, onde existe maior concentração de glândulas sebáceas. Para esse tipo de pele, use produtos em loção, que são fluidos e de rápida absorção. Eles combinam em doses iguais água e óleo e resultam num creme agradável e leve.

A pele mista é mais oleosa na testa, nariz e queixo, onde apresenta poros abertos e uma dose extra de brilho. O restante tende entre normal e seca, com os poros mais fechados. Prefira os produtos específicos para peles mistas, pois eles controlam a oleosidade, hidratam e combatem o ressecamento nas laterais,

Caracterizada por poros quase invisíveis, falta de brilho, aspereza, espessura fina e descamações constantes, a pele ressecada deve ser tratada com produtos à base de ácido e mais cremosos, que contenham mais óleos e ceras do que água – essa equação resulta num hidratante gorduroso e consistente.

Para conservar sua pele com aspecto jovial e sempre sedosa, só us produtos que combinem mais com seu tipo de pele e use cosméticos de boa qualidade, de preferência isentos de óleo (oil free). E não se esqueça de limpar a pele pelo menos duas vezes por dia para evitar o acúmulo de resíduos.
 

Fique sempre com os pés bem cuidados

Afinal, a beleza é um conjunto

Por Marisa De Lucia


Não podemos nunca nos descuidar de nossos pés. Afinal, além de possibilitarem nossa locomoção e manter nosso equilíbrio, se estiverem malcuidados, com certeza, atrapalharão nossa beleza que deve ser um conjunto.

pés.jpg

Você já parou pra pensar que na maioria das vezes, no dia-a-dia tão corrido, nossos pés ficam escondidos em sapatos fechados, principalmente agora no inverno, e quando não em situação desconfortável. Por isso, para que você fique sempre com os pés bem cuidados, aí vão algumas dicas:

Mantenha os pés sempre hidratados, com as unhas bem feitas; durante o banho esfolie os pés com cremes apropriados para que fiquem bem lisinhos; use talco, bactericida ou desodorante para os pés quando usar sapatos fechados, para evitar odores; troque diariamente de meias, que devem ser preferencialmente de algodão, pois absorvem melhor o suor; não use o mesmo par de sapatos todos os dias e guarde seus sapatos em locais arejados.

Outra dica para deixar os pés descansados é massageá-los sempre que possível. Inclusive, os podólogos, especialistas em cuidados com os pés, obtêm até a cura de certas patologias como dores de cabeça, estômago, costas e ansiedade, através da reflexologia, com massagens baseadas no DO-IN. O estímulo nos pontos reflexos transmite a informação para a área afetada, podendo melhorá-la em poucos minutos.

Para não sofrer com unhas encravadas, use sempre sapatos confortáveis, procure cortar as unhas dos pés em formato reto, para que seus cantinhos não cresçam no sentido errado e firam a pele. Para os calos, os médicos receitam adesivos com substâncias que deixam a pele mais fina; para evitar joanetes, não use sapatos apertados.

Já no caso de micose, que aparece como vermelhidão, descamação e coceira, evite pisar descalço em terra, principalmente onde estejam gatos e cães. Para evitar, seque bem os pés após o banho e só use antimicótico, se indicado por um médico.

Cuidados com os cabelos no verão

Por Marisa de Lucia


Está chegando o Verão e com ele muito calor. Os cabelos neste período do ano exigem alguns cuidados especiais como em nenhuma outra estação.

O sol bronzeia a pele e queima o seu cabelo. Se ele for frágil, não fica nada bem.

Caso você goste de cores vivas como o vermelho , cuidado; porque elas mudarão de tonalidade com a ação do sol e talvez você não fique nada satisfeita com o resultado.

Quem sabe se não está na hora de usar uma tonalidade mais clara, luzes coloridas, conservando a cor da raiz do seu cabelo. É diferente e bem arrojado.

Use xampus à base de silicone e ceramidas. Eles formam uma camada protetora que preservarão mais a cor.

O cabelo curto, com os fios desalinhados, pode ser uma boa pedida para o verão, já que a praia e a piscina vão obrigar você a estar sempre com o cabelo recém lavado.

Para quem gosta de cabelos mais longos, opte por um corte em que os fios curtos fiquem intercalados com os mais longos - este corte favorece principalmente cabelos lisos.

Os cabelos afros são muito bonitos para o verão, com contas coloridas , “tererês” ou trancinhas. No entanto, precisam, por causa do sol excessivo, uma hidratação extra.

Você pode usar manteiga de karitê. Ela é perfeita para hidratar, baixando o volume e dando brilho.

Durante o verão arma-se um complô contra os cabelos desprotegidos: o sol atinge a queratina (proteína que forma o fio), que se parte em pequenos pedaços; o cloro da piscina causa o desprendimento de parte da cutícula, formando bolhas e deixando o fio áspero; o vento embaraça os cabelos, que, ao serem penteados, quebram facilmente; a areia entra em atrito com o fio e pode causar a perda de queratina; e o sal intensifica os efeitos destrutivos dos raios solares. Para enfrentar esse ataque, é preciso tornar os fios fortes e resistentes.

Os cabelos tingidos e com mechas estão entre os mais sujeitos a estragos. Esses processos químicos deixam os fios porosos, o que permite maior absorção de cloro e sal. Cabelos crespos, geralmente mais ressecados do que os lisos, também sofrem mais com a ação do sol, da água do mar e da piscina.

No caso de cabelos tintos os mais prejudicados são os cabelos loiros que mais sofrem durante o verão. Na descoloração o fio resseca, porque os pigmentos escuros, que também oferecem uma pequena proteção, são retirados. Portanto, antes da exposição ao sol, os fios devem ser fortalecidos com hidratações semanais.

Cabelos que passaram por alisamento, permanente e relaxamento precisam de cuidados extras com tratamentos especiais para dar nova forma aos cabelos, pois perdem a queratina e elasticidade. Isso enfraquece os fios, que ficam sujeitos a formação de pontas duplas. Além disso, as cutículas abertas facilitam o desbotamento da cor.

A água da piscina agride mais os cabelos do que a água do mar. Isso acontece porque os produtos químicos usados para tratar a água alteram a cor, ressecam e enfraquecem os fios. Mas, antes de mergulhar, tanto no mar como na piscina, é muito importante aplicar nos cabelos produtos que ajudam a proteger os fios.

TRATAMENTO

Nessa época do ano, mesmo na cidade, o ideal é substituir o xampu e o condicionador habituais por similares com filtro solar. Isso porque os raios ultravioleta penetram no fio, oxidam os pigmentos e alteram a cor e a textura dos cabelos.

Para tanto, você precisa consultar um dermatologista que indicará o tratamento exato de acordo com seu tipo de cabelo, e os melhores produtos a serem aplicados. As hidratações deverão ser semanais para amaciar os fios, evitar que ressequem e garantir o brilho.

Assim como acontece com os protetores para a pele, os produtos que atuam como condicionadores do cabelo são resistentes à água. Os filtros aderem aos fios e formam uma película protetora, que resiste ao enxágüe. Embora existam alguns produtos que precisam ser reaplicados depois de cada mergulho.

PRECAUÇÕES

- Depois da praia, é fundamental enxaguar o cabelo com água do chuveiro ou com uma garrafa de água mineral pois os grãos de sal funcionam como uma lente de aumento e ressecam os fios, intensificando a ação da radiação solar.

- Evite fazer tranças porque elas quebram os fios. O ideal é prendê-los com elástico revestido com tecido. Tranças ou penteados que torçam os cabelos devem ser feitos com cuidado, sem esticar muito os fios.

- Outra medida eficaz é usar um chapéu de palha que não fique em contato direto com o couro cabeludo, permitindo uma boa ventilação.

- Para o correto tratamento e prevenção, consulte seu dermatologista, evitando o mau uso de produtos aleatórios que possam vir a ser mais prejudiciais.

O verão que está chegando promete altas temperaturas. Portanto, nada melhor que ir à praia! Muita gente bonita, lindas paisagens, crianças jogando areia e sal, muito sal. A água do mar, em determinadas praias do litoral brasileiro, é tão salgada que queima a raiz do cabelo inteira.

Para não ter seus cabelos danificados, principalmente por causa do calor, procure lavar seus cabelos diariamente, utilizando xampus para o seu tipo de cabelo e raiz. Nunca esquecer de variar de marca, pois se você utiliza uma marca por muito tempo, seu couro cabeludo acaba se acostumando e o produto não faz mais efeito.

Para quem possui o cabelo tingido, ou que já tem os fios danificados por química, deve sempre se lembrar de usar cremes no cabelo com filtro de proteção UV.

Usar filtro solar diário nos cabelos, com produtos específicos para a ocasião;

Se for entrar na água, não deixar os cabelos secarem ao sol, enxágüe com água doce e seque com a toalha, para evitar os danos causados pelo sal do mar;

As mulheres não devem ficar com os cabelos soltos. Uma trança, um rabo-de-cavalo, prendedores, piranhas, bonés e chapéu são acessórios muito bem vindos nesta época do ano. E os homens devem abusar dos bonés;

Ao chegar em casa, lavá-los com produtos certos para o tipo de cabelo e hidratar bem.

Verão está chegando e junto com ele, as altas temperaturas, a praia, o mar e, consequentemente, as agressões aos cabelos.

Para curtir a estação mais quente do ano com os cabelos bonitos e saudáveis, basta seguir alguns cuidados básicos.

De acordo com o Dr. Ademir Jr., médico tricologista (especialista em cabelos), a primeira regra é manter os cabelos e o couro cabeludo sempre limpos e higienizados.

“No verão, o suor, o calor e a umidade podem fazer facilitar problemas no couro cabeludo como inflamações, seborréia e caspa”, explica o médico.

Dr. Ademir ressalta a importância de enxagüar bem os cabelos após sair do mar e da piscina. Este cuidado evita os danos aos fios causados pela salinidade do mar e por elementos usados para o tratamento da água da piscina, como o cloro por exemplo.

O terceiro cuidado essencial para manter os cabelos bonitos, é a proteção contra as radiações solares.

“Estas radiações, além de causarem danos à nossa pele, também agridem de forma intensa nossos fios de cabelo deixando-os mais fracos, quebradiços e sem vida. Vale usar bonés, chapéus e produtos sem enxague que tenham filtro de proteção solar”, afirma o médico, que aconselha também evitar o abuso de máscaras capilares diariamente quando estiver na praia ou piscina.

“Estes produtos não protegem os cabelos. Ao contrário, podem facilitar os danos causados pela água do mar e piscina deixando os fios mais fracos e susceptíveis às quebras”, explica.

Outro cuidado essencial é evitar manter os cabelos úmidos sempre amarrados ou presos, pois, de acordo com Dr. Ademir, os cabelos úmidos ficam mais fragilizados e o hábito de prendê-los ou de amarrá-los, poderá acarretar em danos à estrutura dos fios.

Evitar abusar de químicas nesta época do ano é a sexta dica, já que no verão, as agressões aos cabelos são maiores devido ao vento, ao sol, à água do mar e da piscina.

“Estes fatores, por si só já deixam os cabelos mais frágeis. Abusar de químicas nesta época poderá colocar em risco a qualidade do fios de cabelos”, alerta Dr. Ademir.

Quando se pensa em verão, logo vem à mente uma outra palavra que rima bem com essa época do ano, a hidratação.

Além dos 2 litros de água recomendados para se beber, é bom fazer hidratações regulares nos cabelos. Apesar da maior umidade relativa do ar, da exposição à água do mar e da piscina, os cabelos, no verão, tendem a ressecar.

Hidratá-lo uma a 2 vezes por semana é uma boa pedida para melhorar a qualidade e saúde dos fios.

Esqueça os modismos e escolha produtos que deixam os seus cabelos do jeito que você gosta.

“Não há muitas regras, exceto pelos produtos sem enxague com filtro de proteção solar. Xampus, condicionadores e hidratantes capilares devem deixar seus cabelos bonitos e com aspecto de saúde”, é a dica do Dr. Ademir Jr.

Aproveitar esta época do ano para relaxar, é a 9ª dica. Dr. Ademir Jr. explica que o estresse promove a liberação de substâncias e hormônios em nosso corpo que por si só são capazes de deixar nossa pele e cabelos com sinais de fragilidade e falta de saúde.

“Relaxar, praticar exercícios físicos, conviver com pessoas que gostamos são hábitos deliciosos que também contribuem para cabelos mais bonitos” afirma Dr.Ademir.

E a 10ª dica, mas, não menos importante é ter uma boa alimentação. Todos os tecidos do nosso corpo são produzidos com matérias-primas que ingerimos em nossa alimentação.

“Logo, uma alimentação saudável fará nossos cabelos mais saudáveis e bonitos, além de deixá-lo mais fortes para suportar as agessões do verão” conclui Dr. Ademir Jr.

Seguindo esses cuidados básicos, você manterá seus cabelos lindos e saudáveis, sem deixar de curtir as coisas boas que o verão proporciona.

Cuide da sua pele no verão

Use sempre um bom protetor solar

Por Marisa De Lucia


O Verão está chegando! E com ele as preocupações em cuidar da pele, uma vez que a incidência dos raios ultravioletas está cada vez mais agressiva. Por isso, todos devem estar atentos e se proteger com um bom protetor solar, quando expostos ao sol, para não correr o risco de adquirir câncer de pele.

Correm maior risco de contrair a doença, as pessoas que têm sarda, pele clara e as que já possuem antecedentes de queimaduras solares, pintas e familiares com histórico desta doença.

Para se proteger nos horários de maior radiação solar, além do protetor solar é fundamental o uso de chapéu, óculos de sol e camiseta. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) deve-se evitar a exposição solar entre 10h e 16h (no horário de Verão).

Já para o uso de filtros solares, o recomendável é que o fator de proteção solar (FPS) seja, no mínimo, 15 e que a reaplicação seja feita a cada duas horas.

A SBD não recomenda o uso das câmaras de bronzeamento artificial para fins estéticos, pois os raios emitidos por essas máquinas podem trazer prejuízos à saúde, como envelhecimento precoce e também câncer da pele.

Algumas dicas para ter uma pele bonita

Limpar sempre o rosto
Para eliminar as células mortas acumuladas, a sudorese, as secreções naturais da pele e os vestígios de fumaça e outros agentes poluentes é importante limpar o rosto sempre, mesmo que você não use maquiagem. O melhor horário é antes de dormir, pois a pele respirará melhor durante o sono. Para as peles normais, o ideal é usar emulsões cremosas, leites de limpeza ou sabonetes líquidos. Para as peles secas, são mais indicados os leites ou cremes de limpeza e nunca sabonetes. Já para as peles oleosas ou mistas, o melhor é usar sabonetes líquidos, géis e emulsões.

Cuidar bem do intestino
Manter o intestino sempre saudável evita a prisão de ventre e outros problemas que podem afetar também sua a pele. Por isso, é muito importante adotar uma dieta pobre em gorduras e rica em fibras e alimentos naturais, incluindo lactobacilos na alimentação diária, pois eles beneficiam a flora intestinal. Sempre que possível, evite o uso prolongado de antiinflamatórios, antibióticos, corticóides e pílula anticoncepcional, pois eles afetam as paredes intestinais e, conseqüentemente, a pele.

Proteger-se dos raios ultravioletas
Os raios ultravioletas são os grandes responsáveis pelo envelhecimento cutâneo. Se observarmos as outras partes do nosso corpo, notamos que elas não enrugam tanto quanto o rosto, que fica exposto ao sol por mais tempo. Por isso é que devemos usar filtros solares sempre que sairmos de casa e não apenas quando vamos à praia. O uso do protetor solar deve começar na infância. Já a limpeza mais profunda e a hidratação aos 20 anos e o uso de cremes preventivos contra rugas, a partir dos 30 anos de idade.

Passo-a-passo da limpeza de pele

Veja algumas receitas caseiras bem simples

Por Marisa De Lucia


Para se ter uma pele bonita e saudável, vários fatores devem ser observados. Além da alimentação, que dever ser rica em nutrientes e bem balanceada, é necessário manter a pele sempre limpa e hidratada.

Afinal, a pele, principalmente a do rosto, exige cuidados diários. E não são só as mulheres que devem tomar esses cuidados. Por terem a pele mais oleosa, e ter que fazer a barba com frequência, os homens precisam estar atentos para evitar os indesejáveis cravos os pelos encravados.

Na esteticista, uma limpeza de pele dura entre 50 e 60 minutos e pode ter muitos passos, que começam com a higienização feita com loções e demaquilantes para retirar impurezas superficiais.

Logo após, é feita uma esfoliação com cosméticos cheios de grânulos, que removem as células mortas, e uma desincrustação, ou seja, a aplicação de uma máscara para amolecer a camada superficial da pele e favorecer a retirada de cravos. Os vapores de ozônio aplicados, além de abrir os poros, também têm efeito bactericida e ajudam a preparar a região para as extrações.

A extração dos cravos pode ser feita tanto manualmente como com um aparelho de sucção, que evita ter que espremê-los com as mãos. Por serem mais profundos, os cravos brancos e os miliuns, bolinhas de sebo, são retirados com uma microagulha esterilizada.

Em seguida, é aplicada uma máscara calmante, por 10 minutos, para controlar a oleosidade e relaxar a pele que acaba de ser espremida.

Alguns especialistas recorrem ao aparelho de LED para procedimentos mais agressivos, pois este tem propriedade cicatrizante e antiinflamatória deixando o rosto bem menos marcado e sem vermelhidão.

Finalmente, é aplicada uma máscara a base de creme, ou gel para pele oleosa, com as funções de não só hidratar, mas clarear manchas e sardas e oxigenar a pele. Esta máscara deve permanecer no rosto por umas três horas. Por isso, esse processo é continuado em casa com a lavagem do rosto só com água, após esse período.

Receitas caseiras de esfoliantes:

Indicado para peles mais sensíveis, o esfoliante de aveia é mais suave e promove a nutrição da pele. Basta misturar duas colheres de sopa de aveia em flocos com duas colheres, também de sopa, de mel, aplicar por todo o rosto em movimentos circulares. Logo em seguida, retire-o com água.

Já para peles que têm muitos cravos, o ideal é o esfoliante de açúcar. Mas não deve ser aplicado em peles sensíveis, pois pode provocar vermelhidão. Para prepará-lo, é só misturar uma colher de sopa de açúcar cristal com uma colher de sopa de mel. Em seguida, passe no rosto com movimentos circulares leves e retire, logo após, com bastante água.

Após a esfoliação, é necessário usar um hidratante com filtro solar, à base de gel para peles oleosas. Especialistas recomendam fazer a esfoliação uma vez por semana e após lavar o rosto com sabonete, usar tônico e hidratante com filtro solar todos os dias.