A agenda do corpo

Saiba os melhores horários para praticar as atividades do dia-a-dia

Por:Marisa De Lucia


Você sabia que é bem melhor ir ao dentista na parte da tarde, quando a sensibilidade à dor é menor, e fazer a barba às 8h da manhã quando as plaquetas que levam à coagulação sanguínea são mais abundantes? E que participar de reuniões logo após o horário do almoço não é produtivo? Pois é, a agenda de nosso corpo nem sempre bate com os compromissos que agendamos no dia-a-dia.

Da escritora Jennifer Ackerman, o livro “Sex Sleep Eat Drink Dream” (Sexo dormir comer beber sonhar) traz os melhores e piores horários para praticar as atividades do dia-a-dia. Segundo a autora, se observarmos esse relógio biológico, instalado no hipotálamo, passaremos a respeitar mais as necessidades de nosso corpo e, consequentemente, viveremos melhor.

Sabendo ou não os que participam, o “happy hour”, por exemplo, é realizado no horário em que o fígado metaboliza melhor o álcool, isto é, por volta das 17h, 18h. Já, se for dirigir, esqueça os horários da 1h às 4h e das 13h às 16h, quando há mais chances de se cair no sono.

site.jpg

Quanto à fertilização, os níveis de testosterona atingem seu ápice às 8h, horário em que os homens estão mais estimulados para a atividade sexual. No entanto, o sêmen tem maior qualidade à tarde, com 35 milhões de vezes mais espermatozóides.

Já os exercícios devem ser praticados no final da tarde, quando as juntas estão mais flexíveis e as vias aéreas mais abertas, e é possível ganhar 20% a mais de massa muscular.

Portanto, repense seus horários!

Benefícios da dança para o corpo e a mente

Uma hora de dança gasta, em média, 400 calorias

Marisa De Lucia


Já está mais que provado que dançar reduz o estresse, aumenta a disposição, tonifica e define os músculos, além de queimar calorias tanto quanto caminhar ou andar de bicicleta. E quer maneirar melhor de perder peso?

Mas será que todo mundo sabe que a dança também funciona como uma terapia para a alma? Pesquisas revelam que a dança pode combater a timidez e até mesmo a depressão. Isto porque dançar promove a auto-estima, trazendo alegria e maior disposição para encarar as dificuldades do dia-a-dia

O mais interessante é que, ao contrário de algumas atividades físicas, qualquer pessoa pode dançar, não existem restrições, nem mesmo de idade. Claro que os passos devem ser adaptados às limitações físicas de cada um, mas não existe impedimento.

site.jpg

Outro dado interessante: com a dança, a vida a dois com certeza melhora muito, pois o casal se torna mais próximo e acaba resgatando toda a cumplicidade do início do relacionamento.

De acordo com o diretor da Sociedade Brasileira Medicina do Esporte, Samir Daher, a dança é uma atividade aeróbica focada em pontos específicos do corpo, que variam de acordo com o tipo da atividade. “Em geral, mexe com frequência cardíaca, musculatura esquelética e articulações, podendo ser uma boa aliada para se perder peso. Uma hora de dança pode gastar em média de 300 a 400 calorias”.

Contudo, é preciso tomar alguns cuidados para evitar dores nos joelhos, coluna e tendinites, já que a atividade provoca um movimento repetitivo nas articulações, principalmente em pessoas acima do peso. O médico destaca a importância do alongamento, normalmente feito antes das aulas, e alerta que se a intensidade da prática de dança for muito intensa, exigindo horas de dedicação e mais de duas vezes na semana, é recomendada uma preparação da musculatura e do condicionamento.

“A dança, como atividade física, libera endorfina, substância relacionada ao prazer”, afirma o médico. “Ninguém dança de cara fechada e, normalmente, termina a atividade mais alegre. É um exercício que interliga mente e corpo”, observa o diretor.