Como surgiram os cosméticos

Você sabia que na Idade Média, a Igreja Católica proibiu o uso de cosméticos?

Por Marisa De Lucia


Hoje, peça fundamental no dia-a-dia das mulheres, os cosméticos estão cada vez mais aperfeiçoados e com variedades incríveis, atendendo a todos os tipos de pele e com ingredientes que não provocam alergia. Mas desde quando as mulheres se utilizam desses recursos?

Muita gente não sabe, mas os primeiros registros da utilização de cosméticos datam do Egito antigo, em 3000 A.C. Já nessa época os egípcios pintavam os olhos para evitar a contemplação direta do deus Sol, usando cera de abelhas, mel e leite no preparo de cremes. Para deixar sua pele mais macia. Cleópatra tomava banho com leite de cabra.

Agora, algo que não dá para acreditar é que durante a Idade Média os cosméticos desapareceram na Europa, pois a Igreja Católica proibiu o culto à beleza e o Parlamento Inglês condenou a prática, alegando ser bruxaria, ameaçando com prisão quem fizesse uso de tais produtos.

O uso voltou na época das Cruzadas, quando o banho não era diário e os odores corporais eram disfarçados pelo uso de perfumes. Foi nessa época que a perfumaria se desenvolveu na cidade de Paris.

palavra cosmético vem do grego kosmetikós, que significa “o que serve para ornamentar”. Os cosméticos surgiram no Oriente na Antiguidade e se espalharam pelo resto do mundo. Usavam-se óleos, essências de rosa e de jasmim e tinturas para os cabelos. A alta sociedade de Roma tomava banhos com leite de jumenta para embelezar a pele. Na Idade Média, o açafrão servia para colorir os lábios; o negro da fuligem, para escurecer os cílios; a sálvia, para esbranquecer os dentes; a clara de ovo e o vinagre, para aveludar a pele.

Mas os cosméticos enfrentaram vários obstáculos ao longo da história. Uma lei grega do século II proibia que as mulheres escondessem sua verdadeira aparência com maquiagem antes do casamento. A legislação draconiana, adotada pelo Parlamento britânico em 1770, permitia a anulação do casamento se a noiva estivesse de maquiagem, dentadura ou cabelo falso. Nos anos seguintes, no entanto, a maquiagem pesada tomou conta da Inglaterra e da França. Até que a febre passou após a Revolução Francesa. Só se admitia que pessoas mais velhas e artistas de teatro usassem. Em 1880, a maquiagem reconquistou as mulheres e nascia a moderna indústria de cosméticos.

Os pós faciais, que surgiram em 4 000 a.C. na antiga Grécia, eram perigosos porque tinham uma grande quantidade de chumbo em sua composição e chegaram a causar várias mortes prematuras. O rouge era um pouco mais seguro. Embora fosse feito com amoras e algas marinhas, substâncias naturais, sua cor era extraída do cinabre (sulfeto de mercúrio), um mineral vermelho. O mesmo rouge era usado nos lábios, como batom, onde era mais facilmente ingerido e também causava envenenamento.

O costume de pintar as unhas nasceu na China, no século III a.C. As cores do esmalte indicavam a classe social do indivíduo. Os primeiros eram feitos de goma arábica, clara de ovo, gelatina e cera de abelha. Os reis pintavam as unhas com as cores preta e vermelha, depois substituídas pelo dourado e pelo prateado. No Egito antigo, a tradição se repetiu.

Finalmente, na Idade Contemporânea, no século XIX, as donas-de-casa começaram a fabricar cosméticos em suas próprias residências utilizando ingredientes como leite, água de rosas, creme de pepino, limonada, etc. Já o primeiro laboratório cosmético e medicinal foi criado em Florença em 1508, mesmo ano em que foi inaugurado na França o primeiro instituto de beleza, Catalina Caligai.

Você já deu um abraço hoje?

O abraço não é apenas um contato físico agradável, mas também uma terapia
Por Marisa de Lúcia


Muito mais que uma simples demonstração de carinho, o abraço tem o poder de proteger a saúde e garantir o bem-estar. Segundo estudos desenvolvidos na Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, mediante a troca de calor e afeto, o corpo passa por diversas reações hormonais: o nível de cortisol, responsável pelo hormônio do stress, diminui e a serotonina e a dopamina, substâncias químicas responsáveis pela sensação de conforto e felicidade, aumentam.

Além das alterações hormonais, o abraço faz também com que a pressão sangüínea diminua e os batimentos cardíacos desaceleram, o que é perfeito para evitar os problemas cardiovasculares.

O abraço não é apenas um contato físico agradável, mas passou a ser considerado também uma terapia. Tal gesto valoriza os sentimentos como o amor e é capaz de aliviar a dor, a depressão e a ansiedade.

Torne melhor seu dia e a sua vida, dê um abraço, ele faz bem e não custa nada. O sorriso contagia a alma e faz bem para a saúde. O toque físico também é agradável, é necessário, daí a importância do abraço.

O toque nos faz sentir melhor com nós mesmos e com o ambiente à nossa volta. Tem um efeito positivo sobre o desenvolvimento da linguagem e sobre o QI das crianças. O toque provoca mudanças fisiológicas mensuráveis naquele que toca e no que recebe o toque.

Em um abraço você alivia a tensão, acaba com a solidão e abre passagem para outros sentimentos. O abraço faz a gente superar o medo, combate a insônia, estimula o altruísmo. Quando você abraça alguém ou recebe um abraço o envelhecimento é retardado, os músculos são alongados. Com o abraço a auto-estima é estimulada.

A autora do livro “The Hug Therapy Book” — A Terapia do Abraço — Kathleen Keating explica que o ato de abraçar não é apenas para os solitários ou para pessoas emocionalmente machucadas. “A terapia do abraço pode tornar saudável quem já é saudável, mais feliz que já é feliz, e fazer com que a pessoa mais segura dentre nós se sinta ainda mais segura”.

E tem mais: o abraço não tem hora para acontecer. Aliás, você já abraçou alguém hoje?

Os lábios também precisam de cuidados

Além da boa aparência, eles têm que estar saudáveis
Por Marisa de Lúcia


Se tem algo de que as mulheres não se descuidam são os lábios. Tanto que em muitos lugares públicos é comum ver a mulher retocando seu batom, aliás, peça fundamental de sua bolsa.


De fato, os lábios são um cartão de visita numa mulher, mas de nada adianta cuidar de sua aparência, se eles não estiverem saudáveis.

Quer coisa mais desagradável do que aquelas “preguinhas” em volta da boca? Elas são resultado do não cuidado com esta parte do rosto, o que acabou fazendo com que a pele envelhecesse por falta de hidratação não só na época do verão, mas também nos dias muito frios do inverno.

Um dos cuidados básicos com os lábios é evitar exposições prolongadas ao sol. Para isso é que existem os protetores labiais. O uso de chapéu ou boné também é interessante, bem como o uso de um cachecol e um bom hidratante para evitar que o frio provoque rachaduras.

Já para deixar os lábios bonitos e sensuais, que tal realçá-los com um lápis de cor semelhante à do batom em seu contorno? Se eles são muito finos, o ideal é passar um lápis branco bem na curva do centro do lábio superior.

Finalmente, para deixar os lábios mais carnudos e brilhantes, abuse das cores mais fortes e de um bom gloss!