Dicas para uma pele perfeita

Use buchas vegetais ou industrializadas apenas uma vez por semana.

Marisa De Lucia


Quer coisa mais desagradável do que olhar no espelho e dar de cara com cravos, espinhas e os famosos miliuns, aquelas bolinhas de sebo que ficam sob a pele?
Essas impurezas produzidas pelas glândulas sebáceas, que a derme não conseguiu expelir, só serão eliminadas com uma boa limpeza de pele, que trará de volta o brilho e a vitalidade.

Enfim, para ter uma pele perfeita alguns cuidados são necessários. Afinal, as mudanças climáticas, a exposição ao sol e a poluição acabam trazendo danos no dia-a-dia.
Alguns tipos de pele conseguem se limpar naturalmente, mas a pele oleosa precisa de limpeza pelo menos uma vez por mês. Já a pele normal pode esperar mais um pouco.
Mas, cuidado, pois se for fazer esta limpeza em casa, lembre-se que se apertar um pouco mais poderá deixar a pele com cicatrizes. O ideal é molhar um algodão com água aquecida e deixe repousar por um tempo sobre o cravo ou a espinha. Depois, basta apertar com os dedos ao redor dos pontinhos fazendo pressão para baixo. No entanto, se estiver difícil para sair, desista.

Untitled-1.jpg

De acordo com documento emitido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, algumas medidas são fundamentais para manter a beleza natural de nossa pele. Entre elas, uma das principais é fugir do banho com água muito quente, pois ela retira a camada de oleosidade da pele. Outro alerta é não passar de 15 minutos debaixo do chuveiro, pois a água remove o hidratante natural da pele provocando o ressecamento. Quanto ao sabonete, esse deve ter ingredientes e emolientes que ajudam a manter a integridade da camada de oleosidade.
Poucos sabem, mas se usadas diariamente, as buchas vegetais ou esponjas industrializadas contribuem para retirar oleosidade da pele. Mesmo assim procure usá-las apenas para higienizar axilas, costas e pés e, uma vez por semana, para fazer esfoliação.
É fundamental aplicar um creme hidratante logo após o banho, pois ele ajuda a diminuir a evaporação de água pela pele e forma uma película protetora. Você pode também substituir o hidratante por um bom óleo de banho sem enxágue.
Lembre-se também que as regiões mais ressecadas do corpo, como cotovelos e joelhos, sofrem com o atrito das roupas e por isso tendem a ficar mais ressecadas. Por isso, sempre aplique um creme hidratante nessas áreas. A água também é um hidratante natural, mas desde que você tome pelo menos dois litros por dia.
Finalmente, passe sempre protetor solar nas mãos para que não fiquem ressecadas e procure praticar atividades físicas, pois elas contribuem para ativar a circulação trazendo mais nutrientes para a pele.

Dicas sobre limpeza de pele

Sabia que quem tem muitas espinhas não pode fazer?

Marisa De Lucia


Devo ou não fazer uma limpeza de pele? Parece incrível, mas muitos ainda se fazem esta pergunta. E a dúvida procede, pois, segundo dermatologistas, quem tem a pele cheia de espinhas amareladas devem evitar o procedimento, pois a infecção pode se disseminar.

Nesse caso, é preciso fazer um tratamento com o dermatologista e esperar as espinhas sumirem para evitar problemas maiores com a saúde cutânea. Afinal, a limpeza de pele deve ser feita para melhorar a aparência, não é mesmo?

E logo após tomar sol, quando a pele estiver bronzeada, é recomendável fazer uma limpeza de pele? A resposta dos dermatologistas também é não. Isto porque depois da exposição prolongada ao sol, a melanina -substância responsável pelo escurecimento da pele- está em plena atividade podendo aparecer manchas.

Untitled-1.jpg

Outra dúvida é se podemos tomar sol após ter feito uma limpeza de pele. Outra resposta negativa. É necessário ficar 48 horas sem se expor ao sol. E mais: ao se expor ao sol é preciso aplicar filtro solar com fator acima de 15.

E o que fazer para evitar os cravos, aqueles pontinhos pretos que insistem em marcar nosso rosto? Os tônicos e outros produtos adstringentes, assim como sabonetes de ação profunda podem trazer bons resultados, desde que indicados para seu tipo de pele. Outra dica é evitar dormir maquiada, pois os cosméticos entopem os poros.

Cuidados com os exercícios no Verão

Evite praticá-los ao sol, após as 9h da manhã e antes das 5h da tarde

Marisa De Lucia


Todo mundo já sabe que a manutenção de uma prática regular de exercícios físicos traz uma série de benefícios, entre eles, a diminuição da pressão arterial e do “colesterol ruim” elevando os níveis do “colesterol bom, além de diminuir a ansiedade e o estresse melhorando o sono e a autoestima.

Contudo, com o calor que está fazendo, deve-se ficar atento aos cuidados que devem ser tomados ao praticar exercícios. Afinal, o organismo reage de forma diferente nesta estação do ano. Por isso, antes de começar um programa de exercícios, procure uma orientação médica. Este profissional poderá solicitar a você que faça alguns exames de laboratório, eletrocardiograma e ainda um teste de esforço.

É fundamental escolher o tipo de exercício físico adequado. Nessa época do ano, o mais recomendado é o aeróbico como: andar de bicicleta, caminhar no calçadão da praia ou correr, praticar esportes de praia ou nadar.

Untitled-2.jpg

Mas, lembre-se, evite o sol após as 9h da manhã e antes das 5h da tarde, hidrate sua pele antes, durante e depois dos exercícios físicos, e vista sempre roupa leve, boné ou chapéu. E, claro, faça uso de protetor solar com fator acima de 20 e ingira muito líquido para não desidratar o organismo.

A regularidade na prática dos exercícios também é fundamental. O ideal é fazer exercícios de três a cinco vezes por semana, iniciando com duas horas e meia e passando para três a cinco horas divididas durante toda a semana.

Procure começar com uma caminhada na praia cerca de 1.500 metros, acrescentando cerca de 500 metros ao final de cada semana até atingir uma caminhada diária de 3,5 a 5 km.

A sessão de exercício deverá ter cerca de 60 a 90 minutos e um período de aquecimento de 5 minutos, seguido por um período de exercício aeróbico de 30 a 45 minutos, um período de exercício de resistência de 20 minutos e um período de relaxamento de mais 5 minutos. Mas não exagere na intensidade dos exercícios!

Cuidados ao usar cremes no rosto

O tipo de pele deve ser respeitado

Por Marisa De Lucia


O aparecimento de cravos e espinhas na área do rosto pode ser resultado de uso inadequado de creme. Isto porque cada tipo de pele merece um tratamento diferenciado.

Mas, mesmo sabendo qual o creme indicado para sua pele, é necessário tomar alguns cuidados básicos antes de aplicá-lo. Antes de mais nada, você deve limpar o rosto para remover a maquiagem, a sujeira causada pela poluição e as células mortas.

Para a pele normal, são indicados os leites de limpeza, as emulsões cremosas e os sabonetes faciais. Para a pele oleosa ou mista, o ideal é usar géis, emulsões, sabonetes faciais e soluções de limpeza não oleosas. No caso de pele seca, use leites ou cremes de limpeza, evitando os sabonetes faciais.

Lembre-se sempre que, independentemente da idade, não se deve lavar o rosto com água quente e o sabonete que usa para lavar o corpo. Use somente sabonete facial, líquido ou cremoso.

Depois de devidamente lavada, a pele deve ser tonificada. Para isso, escolha um produto que tenha a menor quantidade de álcool possível. Para peles normais ou secas, use loção tônica. Já para peles oleosas e mistas, use loção adstringente.

Na hora de hidratar, se sua pele for normal escolha loções e leites hidratantes e, no caso de pele óleos, hidratantes em forma de gel, gel-creme, fluidos ou loções cremosas, sempre com formulações livres de óleo (oil free). Já a pele seca requer hidratante em forma de creme, bem consistente.

Finalmente, é muito importante proteger a pele com filtro solar, após o hidratante, pois ajuda a proteger não só contra as manchas e o envelhecimento, mas contra o câncer de pele, muito preocupante nos dias de hoje.

Os lábios também precisam de cuidados

Além da boa aparência, eles têm que estar saudáveis
Por Marisa de Lúcia


Se tem algo de que as mulheres não se descuidam são os lábios. Tanto que em muitos lugares públicos é comum ver a mulher retocando seu batom, aliás, peça fundamental de sua bolsa.


De fato, os lábios são um cartão de visita numa mulher, mas de nada adianta cuidar de sua aparência, se eles não estiverem saudáveis.

Quer coisa mais desagradável do que aquelas “preguinhas” em volta da boca? Elas são resultado do não cuidado com esta parte do rosto, o que acabou fazendo com que a pele envelhecesse por falta de hidratação não só na época do verão, mas também nos dias muito frios do inverno.

Um dos cuidados básicos com os lábios é evitar exposições prolongadas ao sol. Para isso é que existem os protetores labiais. O uso de chapéu ou boné também é interessante, bem como o uso de um cachecol e um bom hidratante para evitar que o frio provoque rachaduras.

Já para deixar os lábios bonitos e sensuais, que tal realçá-los com um lápis de cor semelhante à do batom em seu contorno? Se eles são muito finos, o ideal é passar um lápis branco bem na curva do centro do lábio superior.

Finalmente, para deixar os lábios mais carnudos e brilhantes, abuse das cores mais fortes e de um bom gloss!

Você sabe quando surgiu o barbeador?

Muitos não sabem, mas ele existe desde 1888!

por Marisa de Lúcia


O primeiro modelo de barbeador foi criado nos Estados Unidos, por volta de 1888, pelos irmãos Kampfe de Nova York. O aparelho possuía uma bainha de metal, localizada sobre a lâmina, que impedia cortes profundos, o que normalmente ocorria com o uso da navalha.

Mas foi somente em 1895 que o norte-americano King Camp Gillette, fazendo a barba numa manhã quente, teve a brilhante idéia de criar um sistema de barbear que utilizasse lâminas descartáveis.

A inovação de seu invento não estava no aparelho, mas sim na lâmina, que tinha uma camada fina de aço afiada dos dois lados podendo ser usada algumas vezes e depois descartada.

Muita gente duvidou do sucesso do barbeador, pois achavam que ninguém iria querer comprar lâminas a toda hora, uma vez que podia simplesmente afiar a navalha. Contudo, a primeira venda da Gillete, em 1903, foi de 51 barbeadores e 168 lâminas. No ano seguinte, a empresa produzia 90.000 barbeadores e 12,4 milhões de lâminas.

O método, no entanto, foi amplamente adotado quando, durante a Primeira Guerra Mundial, a Gillette enviou um aparelho de barbear para cada soldado americano, e muitos passaram a barbear-se em sua própria casa. Nessa época, as lâminas eram embaladas uma a uma, em papéis com o retrato e a assinatura de King C. Gillette. Quem não se lembra?

Já o barbeador elétrico foi criado pelo tenente americano Jacob Schick que, cansado de não ter como fazer a barba nos dias de frio ou quando acabava a água, resolveu dar um jeito de se barbear a seco. Em 1918, criou um barbeador com lâminas acionadas por um motor elétrico, que cortavam os pelos sem precisar de espuma ou água. Mas o invento passou a ser comercializado somente 13 anos depois, em 1931.